Cadela filhote é forçada a se reproduzir e morre devido à gravidez prematura

           

Uma cadelinha boxer jovem morreu após ser explorada para reprodução e venda de filhotes. Ela deu à luz a filhotes vivos e mortos em avançado estado de decomposição. A cachorra foi negligenciada e estava coberta de moscas e parasitas. Voluntários que lutaram para salvá-la e funcionários do canil clandestino afirmam que o local onde a cadela estava “cheirava à morte”.

O local foi alvo de uma operação da Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals após denúncias de crueldade contra animais. O canil já havia sido inspecionado em 2015 por acusações de maus-tratos, mas as atividades exploratórias não foram proibidas. Um ex-funcionário afirma que a cadelinha, chamada de Morango, foi forçada desde de filhote a se reproduzir.

A última ninhada de Morango foi vendida para pet shops. O dono do canil estava ciente da situação da cadela, pois segundo funcionários, ele chegou a entrar no recinto onde ela estava e a cutucá-la com os pés dizendo “você já morreu?” enquanto ria friamente. Morango foi encontrada coberta de moscas e com muitas larvas na vagina e na boca. Apesar dos esforços, ela não sobreviveu.

Atualmente, existe uma proposta de lei que proíbe a venda de animais em pet shops e outros estabelecimentos. Se aprovada, a iniciativa reduzirá a existência de canis. A grande preocupação é que esse comércio cresça clandestinamente com a ajuda da internet. Uma investigação foi iniciada para punir os responsáveis pela morte de Morango.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo