O Dia Mundial do Meio Ambiente põe em foco a biodiversidade

           
Pixabay

O Dia Mundial do Meio Ambiente celebra-se de forma diferente em 2020 devido ao impacto da Covid-19. As cidades não vão ocupar-se de atividades que coloquem em foco o desenvolvimento ambiental sustentável, criando a rede habitual mundial que as Nações Unidas promovem. Mas, não obstante, a Organização tem desenvolvido alternativas para que, desde casa, siga-se promovendo condutas respeitosas, conheça-se a realidade de todos os territórios quanto a situação do meio ambiente e avance-se para um futuro verde.

Assim, organizações de todo o mundo e instituições têm criado iniciativas próprias para recordar a necessidade de cuidar do entorno e favorecer que as novas gerações sigam desfrutando desse tesouro.

‘A hora da natureza’ é o tema eleito esse ano para esse dia internacional, com o fim de conhecer os vínculos que conectam todos os seres vivos da Terra e como atuar #PelaNatureza. Como informa a ONU em seu website, sem os serviços da natureza não seria possível a vida no planeta: nem os alimentos que se comem, o ar que se respira e nem a água que se bebe. Como exemplo, cada ano as algas marinhas produzem mais da metade do oxigênio da atmosfera, e uma árvore é capaz de limpar o ar absorvendo 22kg de dióxido de carbono e liberando oxigênio em troca. Porém, são muitas as ações desrespeitosas com a natureza que precisa seguir trabalhando por um meio ambiente no seu máximo esplendor, sendo o Dia do Meio Ambiente um momento ideal para se recordar disso e atribuir seu valor.

De fato, é o encontro mais importante no calendário oficial das Nações Unidas para fomentar a ação ambiental. Desde 1974, o 5 de junho se transformou em uma plataforma global de alcance público que reúne os governos, empresas, celebridades e cidadãos em torno em torno de uma causa ambiental urgente, pois conseguir tal objetivo é assunto de todos os setores que influenciam a sociedade e implica que toda a população atue na conservação do planeta.

No ano de 2020, o tema é biodiversidade, já que eventos recentes como os incêndios florestais sem precedentes no Brasil, Califórnia e Austrália, a invasão das lagostas no Chifre da África e agora a pandemia da Covid-19 demonstram a relação inseparável entre os humanos e as redes da vida. A biodiversidade é a base que sustenta toda a vida na Terra e debaixo da água e tem relação com todos os aspectos da saúde humana. Proporciona água e ar limpos, alimentos nutritivos, conhecimento científico e é fonte de medicamentos, resistência a enfermidades naturais e mitigação da mudança climática.Trocar ou excluir um elemento nesta rede conectada afeta todo o sistema de vida e pode produzir consequências negativas.

As Nações Unidas destacam dados importantes para tomar consciência do que é a biodiversidade, que abarca aproximadamente 8 milhões de espécies do planeta, e como é alterada. Por esse aspecto, nos últimos 150 anos a superfície de recifes de corais vivos reduziu pela metade e ,na próxima década, uma em cada quatro espécies conhecidas poderá se extinguir. Por isso, para se tomar consciência, o site das Nações Unidas não só oferece informação e dados para atualizar-se sobre o impacto da atividade humana no meio ambiente, como disponibiliza também um jogo com perguntas e respostas que possam avaliar o quanto os usuários sabem sobre a natureza e os problemas que a afetam em diferentes territórios.

Seguindo os ODS

Para proteger o meio ambiente, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estão sendo uma bússola para o futuro e, não obstante, a Agenda 2030. Assim, em 25 de setembro de 2015 os líderes mundiais adotaram um conjunto de objetivos globais para erradicar a pobreza, proteger o planeta e assegurar a prosperidade para todos como parte de uma nova agenda de desenvolvimento sustentável. Através de dezessete objetivos para as pessoas e para o planeta, cada um deles com metas concretas, busca-se que tanto governos como o setor privado, a sociedade civil e pessoas individuais façam sua parte.

Nos últimos dez anos, para conseguir os objetivos, recomendou-se aos líderes mundiais que intensificam as iniciativas para alcançar pessoas mais atrasadas, apoiar a ação e a inovação a nível local, fortalecer as instituições e os sistemas de dados, reequilibrar a relação entre pessoas e a natureza e obter financiamento em favor do desenvolvimento sustentável.

Ações com o ambiente

Na atualidade, empresas estão colocando em marcha multidão de ações para alcançar estes objetivos, contribuir com o meio ambiente e frear a mudança climática, investindo em recursos, esforços e ilusão; reconvertendo sua atividade e fomentando, através da responsabilidade social corporativa, ações que contribuam para compensar o impacto de sua atividade no ambiente. Revisam como obter energia de forma mais sustentável, fazem uso de novos materiais que eliminam plástico e que sejam biodegradáveis e dão nova vida aos resíduos para minimizar o impacto ambiental. Pois uma das grandes metas é mudar a visão dos resíduos como lixo e algo que não serve para atribuir valor.

Nesse último aspecto, a reciclagem é um fator chave. Com a correta separação dos materiais, o tratamento e a recuperação de embalagens para poder transformá-los posteriormente. Além disso, na necessidade de fazer um consumo responsável para evitar desperdícios e reduzir os efeitos nocivos no meio ambiente, está o conceito de economia circular que se posiciona como intersecção de aspectos ambientais, econômicos e sociais, levando em conta que a linha de produção de novo uso tem alcançado seus limites e que há recursos naturais e combustíveis fósseis que estão se esgotando. Se apresenta assim um novo modelo de negócio que otimiza os fluxos materiais, energia e resíduos para uma maior eficiência. Os resíduos de uns se convertem em recursos para outros e os produtos são desconstruídos. Novas matérias primas que avançam para um futuro mais sustentável.

Energias limpas

Não se pode esquecer das energias limpas, aproveitando especialmente a Região de Múrcia, as horas de sol, com a instalação de plantas de placas solares; a troca de frota de veículos para que os deslocamentos cheguem perto de zero emissões – especialmente no setor de transporte de logística -; a aposta por tecnologia e inovação para converter a indústria e para que os processos de produção sejam mais eficientes e respeitosos, assim como as ajudas sociais para contribuir ao bem estar dos coletivos vulneráveis, sendo este último um valor que se tem posto em ênfase nessa crise sanitária mundial, respaldando o abastecimento de primeira necessidade.

Fonte: La Verdade

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo