Farra do boi volta a ser registrada em meio à pandemia em Santa Catarina

           
Divulgação/GOR

Mais uma ocorrência de farra do boi, prática proibida por lei, foi registrada durante a pandemia de Covid-19 em Santa Catarina. Desta vez, o caso foi encaminhado ao Grupo de Operações e Resgate (GOR) pela Polícia Militar na terça-feira (21), em Porto Belo.

O animal, que foi resgatado, havia sido visto no morro de acesso a Bombinhas, para onde a equipe do GOR se deslocou. O trânsito teve que ser interrompido no limite entre as duas cidades por cerca de uma hora, até que o boi fosse resgatado.

Testemunhas afirmam que o animal fugiu após ser submetido a maus-tratos durante a farra realizada no bairro Araçá. Após o resgate, o boi foi entregue à Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). As informações são do portal NSC Total.

O caso é o segundo registrado durante a quarentena. Ao invés de respeitar o período de isolamento social, imposto como forma de combate ao coronavírus, há quem opte por ir às ruas para submeter um animal a uma prática cruel e exploratória.

Neste ano, na região atendida pelo GOR Costa Esmeralda, três casos foram registrados, em Governador Celso Ramos, Bombinhas e Porto Belo. No ano passado, 48 ocorrências foram feitas em Santa Catarina durante a quaresma.

A preocupação do presidente do GOR, Pedro Henrique da Silva, é de que os organizadores das farras deixem de realizá-las apenas na quaresma, o que também configura crime, e aumentem a realização desses eventos, estendendo-os para o restante do ano.

“Deu uma diminuída considerável (nos casos), até por conta da quarentena. O que a gente acha é que os praticantes desse crime vão continuar fazendo a farra de boi, só que fora da quaresma”, disse.

O GOR solicita que a população se mantenha atenta e, ao tomar ciência de ocorrências de farra do boi, faça a denúncia através do 190.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo