Crianças participam de corrida com lhamas incentivadas pelos pais

           

Os animais foram montados pelas crianças, bem como agredidos por elas com pedaços de madeira para que corressem mais rápido


Dolores Ochoa / AP

Recentemente, o menino Wellington Barrera (3), participou e venceu corrida anual de lhama no Parque Nacional Llanganates, no Equador. Ele estava vestido com um poncho de lã, calça de lã de carneiro e chapéu de cowboy e ganhou em sua categoria.

As vestimentas do menino e de muitas pessoas que estavam no local fazem parte do mercado exploratório da indústria de pele, onde os animais sofrem crueldade e exploração em grandes máquinas de água fervente, a fim de que suas peles sejam removidas.

Além dele, cerca de 25 crianças também competiram no evento anual (8), com o objetivo de chamar a atenção para as zonas úmidas do parque e a necessidade de preservá-las. No entanto, embora a intenção fosse preservar o parque, os animais estavam sendo montados pelas crianças, bem como sendo agredidos por elas com pedaços de madeira para que corressem mais rápido, com consentimento e torcida dos pais e parentes, que estimulavam com gritos e palmas.

Dolores Ochoa / AP

O parque está localizado há cerca de 130 quilômetros a leste de Quito, capital do Peru, e é famoso pelas vistas dos Andes. A exploração ocorreu entre os pântanos em altitudes próximas a 15 mil pés de altitude.

Uma lhama explorada chamada Rayo McQueen levou Eric Javier Chicaiza, de seis anos, para uma vitória em sua categoria. Sua mãe, Fátima Guanotuna, disse ao site Dail Mail (9), que o animal foi um presente para a família quando o menino nasceu, e os dois sempre foram próximos. Ela colabora com o evento e acha divertido.

Ibeth Santafe, de nove anos, três vezes vencedor em corridas passadas, ficou chateada depois de terminar em terceiro. Mas ela saiu vencedora em um concurso mostrando domínio sobre o animal – treinamentos que geralmente punem os animais com violência quando não obedecem ou atendem as expectativas de seus treinadores.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo