Atriz Mayim Bialik diz que entidades em defesa dos animais deveriam parar de servir carne em seus eventos

           

Por David Arioch

“Qualquer tipo de pessoa pode fazer a escolha de se tornar vegana e sem que isso seja caro” (Foto: Getty)

Em entrevista publicada hoje pela Animal Equality no site LoveVeg, a atriz e neurocientista vegana Mayim Bialik, que conquistou fama mundial com a personagem Amy Farrah Fowler, da série The Big Bang Theory, foi questionada sobre qual mito ela gostaria de desmascarar em relação ao veganismo.

“Que [o veganismo] é apenas para pessoas brancas e ricas. Qualquer tipo de pessoa pode fazer a escolha de se tornar vegana e sem que isso seja caro”, respondeu.

Mayim recomendou também que os pais que desejam que seus filhos sejam veganos, assim como os dela, precisam apenas buscar informações, se educarem sobre o assunto:

“Escrevi um livro de receitas com o Dr. Jay Gordon com todas as informações nutricionais que os pais precisam saber para criarem crianças veganas saudáveis. Não é difícil. Eu garanto!”

A atriz e neurocientista também enfatizou que o seu sonho é que entidades em defesa dos animais parem de servir carne em seus eventos.

“Há maneiras de alimentar os convidados sem tirar a vida de todos aqueles frangos e bois. Muitas pessoas nem comem seus pratos principais; pouparia muito dinheiro e vidas. Vamos lá, colegas defensores!”, pediu.

Mayim Bialik também utiliza o seu canal no YouTube para abordar ocasionalmente o veganismo e os direitos animais. No ano passado, ela publicou um vídeo, com quase 421 mil visualizações, explicando que não há razão para as pessoas verem a alimentação vegana com estranhamento, sendo que muitos alimentos consumidos por veganos também são consumidos por quem não é.

Para exemplificar, ela cita massas, batata-frita, etc. Além disso, explica de forma bem amistosa que quando uma pessoa experimenta um prato vegano que não tenha agradado ao seu paladar, isso não significa que haja motivos para generalizações.

A atriz vegana também diz que se uma pessoa não se importa, de fato, com os direitos animais ou com o bem-estar animal, ela poderia considerar pelo menos os benefícios da abstenção do consumo de alimentos de origem animal para o meio ambiente, já que isso também é de suma importância para a humanidade.

Mayim Bialik cita uma série de impactos negativos associados à agropecuária. Com uma perspectiva otimista, ela sugere que pessoas que consideram o veganismo “impraticável” ou “muito difícil de seguir”, que pensem nos alimentos que elas já podem consumir, que estão ao seu alcance.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo