Impacto ambiental da tragédia de Brumadinho “será sentido por anos”, diz ONG

           
Foto: Corpo de Bombeiros | Divulgação

A organização advertiu, na última terça-feira (29), sobre o terrível impacto ambiental causado pela enxurrada de lama causada pelo rompimento da barragem na Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho.

“Aproximadamente 125 hectares de florestas foram perdidos, o equivalente a mais de um milhão de metros quadrados, ou 125 campos de futebol”, indicou o relatório divulgado quatro dias depois da tragédia que causou até agora a morte de mais de 100 pessoas e o desaparecimento de outras 238.

A lama afetou também a aldeia indígena Naô Xohã, com 27 famílias, a 22 km de Brumadinho.

“Estamos em uma situação muito séria. Dependíamos do rio e o rio morreu. Não sabemos o que fazer”, disse o cacique Háyó Pataxó Hã-hã-hãe, contando que os peixes mortos e um odor fétido tomaram conta da pequena comunidade.

De acordo com o G1, a Agência Nacional de Águas (ANA) estima que a onda de rejeitos e lama chegará entre 5 e 10 de fevereiro à hidrelétrica de Retiro Baixo, a 300 km da mina.

Foto: Andre Penner | AP

A expectativa é que as barragens de contenção nessa estrutura retenham os rejeitos, mas a ANA esclarece que “está sendo avaliado se a onda de rejeitos alcançará a reserva da hidrelétrica de Três Marias, no rio São Francisco, 30 km abaixo da barragem de Retiro Baixo”.

A WWF Brasil considera que ainda é cedo para algumas afirmações. Paula Hanna Valdujo, especialista em conservação da ONG, opina que “serão necessários estudos mais detalhados para entender a intensidade deste impacto e até onde se estende”.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo