Explorada até a morte: o sofrimento de uma cadela que teve o corpo deformado em fábrica de filhotes

Quando foi considerada inútil após ser tratada como uma máquina de filhotes, a cadela foi despejada nas ruas e abandonada para se defender.

Cadela explorada em fábrica de filhotes
Foto: RSPCA

Tragicamente, assim que ela foi resgatada, ficou claro que, como foi repetidamente obrigada a ter pequenos buldogues americanos (cada um vendido por até £ 500 no mercado aberto) – ela estava muito debilitada e com muita dor para sobreviver.

A RSPCA diz que seu tormento a deixou em um estado tão ruim que a única opção era induzir sua morte para evitar mais sofrimento.

No início deste ano, o governo do Reino Unido anunciou severas medidas contra criadores de cães para salvar as vidas de milhares de cachorros vulneráveis.

Punições que estabelecem multas ilimitadas e sentenças de prisão têm sido introduzidas para acabar com as fábricas de filhotes que criam cães jovens e doentes em nome do lucro.

O comércio de cães  tornou-se uma indústria lucrativa de mais de 100 milhões de libras esterlinas, que atrai organizações criminosas em busca de ganhos financeiros. Muitos novos tutores que são deixados com altas despesas veterinárias ou a tristeza de ter um animal à beira da morte devido ao terrível tratamento imposto por esses locais.

Corpo de cadela com deformidade
Foto: RSPCA

Os “cachorros da moda”, como buldogues e pugs franceses estão se tornando cada vez mais populares nas famílias.  O buldogue americano é considerado sinônimo de status devido à sua aparência física.

Infelizmente, a exploração da cadela para atender a tais demandas custou sua vida. Um membro do público alertou para o caso depois de encontrar a cachorra mancando em Bolton Road, Birmingham. Seu sofrimento era óbvio.

Como o inspetor Kim Charles da RSPCA explica: “Nós poderíamos dizer  assim que a vimos que ela passou por muitas reproduções. Suas glândulas mamárias eram muito grandes e seu corpo ficou deformado como consequência de toda a procriação que ela enfrentou. Além disso, ela também teve uma condição de pele terrível que deixou sua pele avermelhada”.

Como a cachorra estava em péssimo estado, os profissionais decidiram induzir sua morte para evitar mais sofrimento. O inspetor Charles adicionou: “É tão triste já que ela era tão amável e amigável, mas ficou evidente que ela estava com muita dor e desconforto. Estava muito derrotada e relutante em se mover”.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo