Galinhas doentes e com deformidade são abandonadas para morrer em granja

           

Galinhas doentes e com deformidades foram encontradas abandonadas para morrer em uma granja. Desde então, após a investigação realizada pela organização Animal Equality entre maio e julho, a operação da granja perto de Taunton, em Somerset (Inglaterra), foi encerrada.

Galinhas exploradas em granja
Galinhas com deformidades e doentes foram abandonadas para morrer em granja (Foto: Animal Equality)

Um trabalhador foi flagrado jogando um pintinho vivo em um carrinho com aves mortas e à beira da morte e deixando-o ali por uma hora, antes de esvaziar o carrinho em uma lixeira. Em seguida, ele pegou o pintinho e quebrou seu pescoço.

Os funcionários chutaram as aves que estavam em seu caminho e os ativistas do Animal Equality descobriram que os galpões do local estavam superlotados, sendo que 150 mil aves eram mantidas em quatro deles.

Ave extremamente fraca não consegue se levantar
Ave extremamente fraca não consegue levantar-se (Foto: Animal Equality)

Algumas aves estavam deformadas e muito fracas para permanecerem em pé ou alcançar água ou grãos, informou a reportagem do Independent.

A Cambria Farm é fornecedora da Faccenda, a segunda maior empresa de frango do Reino Unido e pratica a redução de custos, o que significa que uma galinha pode custar apenas £ 3, informou o The Times.

Uma galinha vive cerca de 40 dias nessas condições deploráveis e muitas morrem durante esse período.

Uma das galinhas abusadas pelo local
As galinhas tinham deformidades graves (Foto: Animal Equality)

Elas são colocadas em uma caixa e transportadas de caminhão por 224 quilômetros para o matadouro da Faccenda em Northamptonshire.

Um porta-voz da Faccenda disse ao The Times que um “veterinário externo” foi enviado à granja para investigar os trabalhadores que chutavam as galinhas e aprovou esse absurdo, descrito pelo porta-voz como “pastoreando” as aves para fora do caminho.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo