Histórias de luto revelam a sensibilidade animal diante da morte

           

Por Marcela Couto (da Redação)

Foto: Reprodução/CEN
Foto: Reprodução/CEN

Muitas espécies de animais vivem em grupos. Mas, quando um membro morre, será que os outros sentem sua falta?

De acordo com um relatório fascinante publicado pela New Scientist, a morte de um macaco na China está revivendo o debate entre cientistas: os animais são capazes de vivenciar o luto?

Não há consenso entre biólogos, mas as evidências são muitas. O incidente recente na China foi documentado por James Anderson, da Universidade de Kyoto no Japão, que estava monitorando um grupo de macacos na Zhouzhi National Nature Reserve.

Segundo a observação de Anderson, uma fêmea do grupo ficou doente repentinamente, caiu de uma árvore e morreu. O parceiro dela, o macho alfa do grupo, permaneceu ao lado do corpo por alguns minutos, tocando e pegando em sua mão. Depois que os pesquisadores enterraram a fêmea, o grupo de macacos retornou ao local da morte e passou um bom tempo por lá.

luto

O relatório é mais um de vários recentes que mostram o comportamento de luto dos animais, sugerindo que humanos não são os únicos a lamentar a morte de seus entes queridos.

Em outro estudo conduzido pelo Sanaga-Yong Chimpanzee Rescue Center, um grupo de chimpanzés foi visto cuidando de uma fêmea idosa que acabara de morrer. O comportamento sugeria que os macacos estavam prestando suas condolências a ela.

Mães chimpanzés que perderam seus filhotes também tem sido vistas carregando os corpos por dias ou semanas, tentando revivê-los. Isso sugere que animais entendem o processo da morte, segundo os pesquisadores, principalmente os primatas.

burro

Mas outras espécies também demonstram seu luto. O grupo das aves que incluem os corvos realizam “funerais” para seus parentes mortos. Rituais de morte tem sido observados entre golfinhos, elefantes e gatos.

Os cientistas que defendem a consciência animal dizem que seria antropocêntrico demais achar que apenas humanos possuem sentimentos complexos diante da morte. E realmente, não faltam exemplos do luto dos animais, como nos casos recentes da macaca que se recusou a abandonar o corpo de seu filhote e dos burros que velaram seu companheiro morto.

 

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo