Aprenda a fazer imagens que salvam animais

           
O gatinho Casey foi fotografado por Michael Kloth para o livro "Shelter Cats". Descrição para deficientes visuais: Filhote de gato rajado está de pé, mas com o corpo um pouco arqueado. Parece estar assustado. Foto: Divulgação
O gatinho Casey foi fotografado por Michael Kloth para o livro “Shelter Cats”. Descrição para deficientes visuais: Filhote de gato rajado está de pé, mas com o corpo um pouco arqueado. Parece estar assustado. Foto: Divulgação

Fátima ChuEcco/Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Quantas vezes uma única foto não foi capaz de mobilizar multidões no salvamento de um animal? Isso acontece praticamente todos os dias no caso de um acidente, abandono, maus-tratos, enfim, em situações de extrema urgência. No entanto, uma imagem cativante pode também salvar milhares de vidas. Foi pensando assim que o fotógrafo americano Michael Kloth dirigiu seu trabalho em abrigos de cães e gatos dos EUA e de outros países, afinal, em muitos desses abrigos ainda se induz os animais à morte em poucos dias ou semanas se não forem adotados.

E pior: ainda se usa a câmara de gás mesmo em países de primeiro mundo onde, inclusive, as leis contra maus-tratos a animais costumam ser mais rígidas que no Brasil. Um contra-senso: pune-se de forma mais severa quem maltrata animal, mas matam-se animais saudáveis todos os dias de uma forma terrível.

Capa do livro "Shelter Cats" com fotos de gatinhos à espera de um lar. Descrição: Dois filhotes de gatos de pelagem cinza e branca e olhos claros estão de pé e olham para a câmera. Foto: Divulgação
Capa do livro “Shelter Cats” com fotos de gatinhos à espera de um lar. Descrição: Dois filhotes de gatos de pelagem cinza e branca e olhos claros estão de pé e olham para a câmera. Foto: Divulgação

Mas Michael Kloth percebeu que uma bela foto pode fazer toda a diferença e publicou vários livros com encantadoras imagens de cães e gatos à espera de um lar e, por vezes, dependendo do abrigo, à espera da morte. No livro “Shelter Cats” (uma expressão usada para animais que vivem em abrigos), por exemplo, ele comenta que, por ano, entre 3 e 4 milhões de cães e gatos são induzidos à morte. Filhotes, animais adultos saudáveis, enfim, o critério básico em muitos locais é: se não for adotado, morre. Nesse mesmo livro ele comenta que menos de 5% dos gatos perdidos entregues em abrigos são reclamados por seus tutores e o destino deles, muitas vezes, também é a morte.

Mas as fotos feitas por Kloth deram uma segunda chance para muitos animais em diversos livros como “Shelter Dogs”, “Street Dogs” (Cães de Rua) e “Shelter Puppies” (Filhotes de Abrigos). Ao final das obras cada cachorro ou gato fotografado aparece numa miniatura que conta um pouco de sua personalidade fazendo com que as pessoas os conheçam melhor. No momento o fotógrafo está com o Projeto Exposição Perfeita em processo de financiamento coletivo. O slogan do projeto é “Lights, Camera and Adopt!” ou “Luzes. Câmera e Adote!”. O objetivo é arrecadar fundos para capacitar funcionários e voluntários de abrigos para fotografar os animais e, com isso, conseguir dar uma melhor impressão deles cativando adotantes.

Capa do livro "Shelter Puppies" sobre filhotes que aguardam um lar. Descrição: Filhote de cachorro preto e olhos escuros está de pé. Ele tem grandes orelhas e um rosto meigo. Foto: Divulgação
Capa do livro “Shelter Puppies” sobre filhotes que aguardam um lar. Descrição: Filhote de cachorro preto e olhos escuros está de pé. Ele tem grandes orelhas e um rosto meigo. Foto: Divulgação

O dinheiro servirá para as oficinas de capacitação, compra de equipamentos fotográficos e de iluminação, e construção de cenários. “Acredito que 15 minutos de fama podem transformar a vida de um animal de abrigo. Com esse projeto estaremos dando uma primeira impressão inesquecível desses animais e a chance de se tornarem a estrela de uma família. É uma forma de promover de forma eficaz esses animais. Em 2015 já conseguimos capacitar quatro abrigos e em 2016 esperamos atingir muito mais”, diz o fotógrafo. O projeto pode ser conhecido no link.

Michael Kloth com seu cão Maebe. Ele tem ainda os cães Lyle e Spring, todos adotados. Descrição: Homem branco e careca, de óculos e sorridente, segura um cachorro amarelo. Foto: Divulgação
Michael Kloth com seu cão Maebe. Ele tem ainda os cães Lyle e Spring, todos adotados. Descrição: Homem branco e careca, de óculos e sorridente, segura um cachorro amarelo. Foto: Divulgação

Imagens que derretem corações

Vários protetores de ONGs e também independentes já investem nessa fórmula criativa de apresentar os animais resgatados. Quanto mais nítida e interessante a foto, mais chances o animal tem de conseguir um lar – salvo quando a história de vida ou situação que ele enfrenta é mais forte que qualquer imagem bem produzida e, obviamente, chama mais a atenção. É preciso ter sensibilidade para descobrir qual ponto daquele animal é mais atraente, explorar seu olhar, suas poses delicadas ou engraçadas, criar cenários sugestivos ou temáticos e, claro, aprender técnicas para que as fotos fiquem bem focada e com iluminação adequada. Muitas vezes a prática leva a bons resultados porque as pessoas vão se dando conta do que funciona melhor na hora de fotografar. Abaixo estão alguns exemplos de Michael Kloth que fez do seu trabalho uma ferramenta para ajudar animais carentes.

Foto do livro "Shelter Puppies". Descrição: Três filhotes de cães estão de pé e olhando para a câmera. UM é marrom claro e escuro, outro é amarelo e o terceiro é todo preto. Foto: Divulgação
Foto do livro “Shelter Puppies”. Descrição: Três filhotes de cães estão de pé e olhando para a câmera. UM é marrom claro e escuro, outro é amarelo e o terceiro é todo preto. Foto: Divulgação
Foto do livro "Shelter Cats". Descrição: Gat o filhote de pelagem cinza e branca, olhos amarelos, está sentado e olhando para o lado. Foto: Divulgação
Foto do livro “Shelter Cats”. Descrição: Gat o filhote de pelagem cinza e branca, olhos amarelos, está sentado e olhando para o lado. Foto: Divulgação
Foto de Michael Kloth, especializado em imagens de cães e gatos abandonados. Descrição: Filhote de cachorro preto, de pelo reluzente e olhos castanhos. Ele olha fixamente para a câmera. Foto: Divulgação
Foto de Michael Kloth, especializado em imagens de cães e gatos abandonados. Descrição: Filhote de cachorro preto, de pelo reluzente e olhos castanhos. Ele olha fixamente para a câmera. Foto: Divulgação
Michael Kloth tem projeto para capacitar voluntários em foto de animais a fim de facilitar adoções. Descrição. Gatinho filhote amarelo aparece num fundo vermelho. Ele parece estar miando. Foto: Divulgação
Michael Kloth tem projeto para capacitar voluntários em foto de animais a fim de facilitar adoções. Descrição. Gatinho filhote amarelo aparece num fundo vermelho. Ele parece estar miando. Foto: Divulgação
Por vezes, captar uma emoção do animal pode ser muito importante para a divulgação de uma determinada situação.  Foto de Michael Kloth. Descrição: Foto escura onde se vê a silhueta de um cachorro marrom de cabeça baixa. Ele transmite tristeza. Foto: Divulgação
Por vezes, captar uma emoção do animal pode ser muito importante para a divulgação de uma determinada situação. Foto de Michael Kloth. Descrição: Foto escura onde se vê a silhueta de um cachorro marrom de cabeça baixa. Ele transmite tristeza. Foto: Divulgação
Clara, conforme diz na foto, é uma das gatinhas que estava para adoção na época em que o livro "Shelter Cats" foi publicado (2010). Descrição: Gatinha jovem, branca e rajada, está de pé em uma pose engraçada com as patas traseiras bem abertas e olhando para o alto. Foto: Divulgação
Clara, conforme diz na foto, é uma das gatinhas que estava para adoção na época em que o livro “Shelter Cats” foi publicado (2010). Descrição: Gatinha jovem, branca e rajada, está de pé em uma pose engraçada com as patas traseiras bem abertas e olhando para o alto. Foto: Divulgação


*É permitida a reprodução total ou parcial desta matéria desde que citada a fonte ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais com o link. Assim você valoriza o trabalho da equipe ANDA formada por jornalistas e profissionais de diversas áreas engajados na causa animal e contribui para um mundo melhor e mais justo.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo