Veterinário dá dicas de cuidados com animais no mês mais quente do ano

           
Animais devem ser levados para caminhadas leves e em horários adequados, diz veterinário. (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
Animais devem ser levados para caminhadas leves
e em horários adequados, diz veterinário. (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)

Com a chegada do mês de outubro, considerado o mais seco do ano no Amapá, quando sensações térmicas podem chegar a 40 graus Celsius, os cuidados com animais precisam ser redobrados por causa das elevações de temperaturas, alerta o veterinário Luiz Alencar Júnior. Ele orienta atenção aos horários de caminhadas, à alimentação e a mudanças bruscas de temperaturas.

Segundo o médico veterinário, a caminhada diária dos cães, por exemplo, deve ser feita em horários em que a incidência do sol é menor, no início da manhã ou a partir do fim da tarde.

“Os animais têm a região das patas muito sensível ao asfalto ou à calçada quente. Então, devemos fazer os passeios até às 10h e a partir das 17h, para que não venha ocasionar maus-tratos a esses animais”, disse Alencar.
O veterinário lembra que a exposição ao sol durante a caminhada diminui a disposição física do animal. A recomendação é não levar o cão a passeios muito longos, porque pode provocar um cansaço físico.

“Ele pode chegar a ter uma parada cardíaca com esse excesso de esforço, e, com as temperaturas elevadas, a possibilidade se agrava mais ainda. Não pode se comparar o preparo físico do animal com o do ser humano. É diferente”, afirmou.

A elevação da temperatura é muito sentida pelos animais, comenta o veterinário. Apesar de provocar suor, a recomendação para refrescar cães e gatos é de um banho por semana. O banho excessivo, segundo Alencar, diminui a proteção da pele e pode causar doenças se não o secar e colocá-lo exposto de forma indireta ao sol.

Veterinário Luiz Alencar Júnior orienta cuidados para período de calor.(Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
Veterinário Luiz Alencar Júnior orienta cuidados
para período de calor.(Foto: Fabiana Figueiredo/G1)

Doenças
As altas temperaturas podem provocar doenças se os animais não receberem os cuidados necessários, alerta o veterinário.

“Colocar o animal nessa mudança de temperatura pode levar a problemas de saúde, como a faringite, uma inflamação da faringe em consequência da mudança brusca de temperatura. Também pode ter a ocorrência de sarnas e viroses em animais não vacinados, provocando cinomose, parvovirose e coronavirose. O melhor mesmo é procurar veterinários e clínicas para fazer prevenção e tratamento dessas doenças”, recomendou Alencar.

Tempo
As previsões são de mais tempo seco e calor para o mês de outubro, segundo o Núcleo de Hidrometereologia (HMET) do Instituto de Pesquisas do Amapá (Iepa), que considera este o período o mais quente do ano. A temperatura para o mês pode variar entre 26 e 36 graus.

“A sensação térmica, principalmente no Centro de Macapá, pode chegar aos 40 graus, porque tende a ser mais aquecido. O mês todo é característico em ter o mínimo de chuvas. Esperamos que chova menos que a média”, falou o meteorologista Daniel Neves, coordenador do HMET.

Em consequência do fenômeno climático El Niño, em que as temperaturas aquáticas ficam mais elevadas, o núcleo prevê que o nível de chuvas seja menor.

“Em torno de 10 milímetros, distribuído para o mês todo. É pouco para o nível de chuvas que temos aqui, quando registramos em torno de 400 milímetros”, disse Neves.

Fonte: G1.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo