Poá e Suzano, em SP, estudam liberação de animais nos transportes coletivos

           
Foto: Reprodução/ TV Globo
Foto: Reprodução/ TV Globo

Poá e Suzano, em São Paulo, estudam um projeto de lei para permitir que tutores de animais domésticos possam transportar cães e gatos dentro dos coletivos. Em Suzano, uma ONG luta para que a Câmara de Vereadores aprove o projeto. Já em Poá, a lei precisa ser sancionada pela Prefeitura.

O transporte de animais em ônibus já é uma realidade em muitas cidades do estado. Das 10 cidades do Alto Tietê, apenas Mogi das Cruzes permite o transporte de animais domésticos nos ônibus.

“O animal tem feito parte da família, então principalmente as pessoas que não tem carro, tem o direito de sair com o animal de casa dentro de um transporte público e poder levá-lo para onde quiser”, afirma o presidente da ONG Pas, Lisandro Frederico.

Na Câmara de Poá, no final de setembro, os vereadores aprovaram o projeto de lei que autoriza o transporte de animais domésticos nos coletivos. Mas pra fazer esse transporte, a regulamentação determina regras como apresentação da carteira de vacina, o peso e o tipo de acomodação adequada para garantir a segurança tanto dos animais como dos passageiros. O projeto também diz que esse transporte seja feito fora do horário de pico dos ônibus e que o limite máximo deve ser de dois animais por veículo.

“Ele precisa estar com a carteirinha de vacinação em dia e essa carteirinha precisa ser apresentada no embarque”, completa Lisandro.

A Prefeitura tem o prazo de 15 dias para sancionar a lei. A medida, porém, já divide opiniões nas ruas de quem usa o transporte diariamente.

Rosinalva Cruz que aprova a medida porque tem cachorro e sabe como é difícil o transporte dos animais. “Muita gente, como eu que não tenho carro, não tem como levar o cachorro. Onde eu vou levar?”

Luiz Carlos Elefante, porém, fica com receio se a medida for aprovada. “O transporte público já é precário, imagina só com animal”, afirma o aposentado.

Cintia dos Santos mora em Suzano e tem nove cachorros. Ela conta da dificuldade de ficar sem opção na hora de socorrer um deles. “Uma vez eu tentei transportar um gato e não consegui entrar no ônibus porque não era permitido animais no transporte público. Eu tive que ir até o veterinário a pé. Se o animal estiver bem acondicionado em uma caixa de transportes, eu acredito que não fará mal. É como transportar uma outra bagagem.”

Ainda de acordo com o projeto de lei aprovado em Poá, o tutor do animal transportado vai pagar uma passagem a mais, para o uso de uma cadeira do ônibus. As empresas que não cumprirem a lei terão uma multa de R$ 1 mil.

Fonte: G1.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo