No inverno, motores de veículos são uma ‘ameaça’ para gatos

           

Gato morre dentro do motor de um Fiat Uno
Gato morre dentro do motor de um Fiat Uno

Marrom, de 4 meses, era um gato que não tinha o costume de sair de dentro de casa, segundo a tutora. Nessa terça-feira (28), porém, enquanto os termômetros marcavam 11,9 graus às 6h25 em Bauru, ele resolveu sair de perto dos outros quatro gatos da família para buscar aquecimento no motor do Uno estacionado na garagem da casa. Sem notar a falta do bichano, Andreia Leite Nabarro, de 36 anos, que trabalha em uma padaria, saiu com o carro.
Já morto, o animal só foi encontrado dentro do motor por um mecânico após o veículo apresentar problemas cerca de 3 horas depois. O triste fato levanta um alerta, feito também pelo Conselho Municipal de Proteção e Defesa Animal (Comupda) aos tutores de animais, já que as baixas temperaturas no inverno aumentam a probabilidade desse tipo de problema.
Susto e tristeza
Adriana conta que, ao levantar e abrir a porta de casa como faz todos os dias, não imaginava que Marrom poderia ter saído e entrado no motor do Uno.
“Eles (os gatos dela) não costumam fazer isso. Teve uma época em que os gatos da rua entravam, mas eu sempre escutava um miado e abria o capô para checar, antes de sair. Ontem, não ouvi nada e não olhei, infelizmente”, lamenta a mulher, que chorou ao saber que o problema no aquecimento do veículo era provocado pelo corpo do gato emaranhado em meio à correia e bomba de água, por volta das 9h.
“Foi um susto e um choque quando o mecânico mostrou, não imaginávamos. Coitadinho!”, completa o pintor Marcelo Francisco da Silva, 41 anos, marido de Adriana.
Ele conta que, além de Marrom, os gatos da família, Tayla, de 4 meses, Sofia, que tem 3 anos e é mãe de Marrom, Wilbert e Negão, de 3 anos, dormem geralmente no sofá da casa ou na área da casa. “Eles ficam passeando, mas, como está frio, ficam lá dentro”, frisa.
“Ele estava meio doentinho e deve ter saído de perto dos outros assim que abri a porta de manhã, mas não pensei que conseguiria subir no carro”, acrescenta Adriana.
O mecânico que atendeu a família diz que a situação não é tão frequente, mas já atendeu outro caso parecido. “É sempre um susto. No ano passado, uma caminhonete estava com o mesmo problema e encontramos um gato morto no motor”, lembra Marcos Antônio Guimarães, que trabalha há 15 anos como mecânico.
“Eles entram por baixo do motor e gostam do recuo que tem próximo à correia do carro e fica ao lado do motor”, explica.
‘É bom ficar alerta’
Presidente do Comupda, Leandro Tessari diz que situações como essa, que resultam na morte dos animais dentro de motores, não são tão comuns. “Já ouvi dizer de gato que entrou no motor e pulou assim que o carro parou, mas morrer lá dentro não”, frisa.
Ele alerta, contudo, que gatos gostam de lugares estreitos e procuram pontos mais quentes, principalmente no inverno. Assim como os cachorros, que costumam deitar nas sombras de carros para se esconderem do sol ou para se esquentarem.
“Já ouvi falar de casos em que o gato entrou até no motor de máquina de lavar. É bom ficar alerta”, ressalta Tessari.
Fonte: Jornal da Cidade

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo