Audiência comprova situação dramática de animais abandonados em Santa Helena (PR)

           

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Câmara de Vereadores de Santa Helena(PR) foi o palco de uma Audiência Pública convocada pela Promotoria local para discutir as questões relacionadas ao abandono de animais, principalmente cães.
Além da promotora Ana Claudia Luvizotto Bergo, participaram do encontro os representantes de entidades, como a APROA, Associação de Proteção dos Animais, cujo presidente é Roberto Correia de Melo, Amigos dos Cães, o prefeito Jucerlei Sotoriva e assessores, presidente da câmara, Valdonir Weizenmann, além de populares.
O prefeito Juce disse que o município pode apoiar qualquer iniciativa, desde que haja uma oficialização por parte das entidades e um sinal de que realmente tudo esteja organizado e a sociedade conscientizada das atribuições de cada ente envolvido no processo.
O presidente da APROA fez um relato das condições e também das necessidades da entidade.
Dramática situação
Numa tentativa de apresentar soluções, a Audiência pode constatar a situação embaraçosa por que passa a APROA, Associação de Proteção dos Animais, formada a partir do final de 2013, que não conseguiu dar um bom encaminhamento para a causa, apesar do esforço quase que solitário de alguns abnegados.
O canil formado pela entidade abriga hoje cerca de 200 cães e 10 gatos que estão sob o cuidado de um casal, exclusivamente contratado para tal, mas que atualmente está até com os seus vencimentos atrasados em função da precária condição financeira da APROA.
A Associação foi se esvaziando e hoje apenas duas pessoas fazem parte da diretoria e se não houver uma participação maior, junção de forças e maior colaboração, inclusive financeira, a tendência é o fim da entidade.
O advogado Roberto Correia de Melo, um dos idealizadores da APROA e remanescente do grupo inicial se diz cansado e apesar de seu amor pelos animais, não consegue ver alternativa a não ser abandonar o projeto, caso não surjam soluções compatíveis com as necessidades do órgão.
Alguns encaminhamentos
A Promotora Ana Claudia Luvizotto Bergo espera outras definições para estabelecer um TAC, Termo de Ajuste de Conduta, que seria assinado por todos os setores envolvidos, públicos ou não.
Surgiu a ideia de aquisição de uma espécie de clínica veterinária móvel para recolher animais e executar procedimentos, como a castração.
Há pelo menos 49 cães esperando por este tipo de procedimento.
Também existe a expectativa da convocação de um encontro que pode selar a união entre entidades como a própria APROA e Amigos dos Cães, mas a esperança em torno dessa possibilidade, não é das mais otimistas.
Doações
Segundo o advogado Roberto Correia Melo, há necessidades urgentes para a Associação de Proteção dos Animais, principalmente para poder dar comida aos cães e gatos abrigados e cumprir com o compromisso pecuniário com o casal que trata dos animais no local destinado para tal.
Fonte: Correio do Lago

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo