Ação policial impede que cão seja enterrado vivo em Toledo (PR)

           
Filhote estava com sérios problemas de pele, inclusive necroses e miíases
Filhote estava com sérios problemas de pele, inclusive necroses e miíases

Casos de maus-tratos e crueldade contra animais chegam aos órgãos de segurança diariamente. Porém, alguns chamam mais a atenção devido à gravidade. Na noite de quinta-feira (12) uma denúncia evitou que um cachorro fosse enterrado vivo. O filhote de Pit bull encontra-se em tratamento veterinário, com graves problemas de saúde e a Polícia Civil busca identificar e responsabilizar o tutor.

De acordo com a polícia, pelo 197 chegaram informações de que havia um filhote de Pit bull nos fundos de uma residência, na área central de Toledo, que estava com sérios problemas de pele e que o tutor havia falado que enterraria o cachorro vivo.

Diante dos fatos, uma equipe da polícia, com a ajuda da Associação Focinhos Carente de Toledo (Afocato), se deslocou ao local e encontrou a situação relatada. O cachorro estava com sérios problemas de sanidade, com a pele toda machucada e parte já em decomposição.

Segundo os policiais, pescoço e pés do animal estavam cheios de miíases e com vários ferimentos graves. O animal apresentava forte infecção, inclusive com pus nos olhos. Os investigadores relatam ainda que a denúncia tinha procedência, pois foi encontrado no local um buraco já cavado para receber o animal.

Devido à gravidade da situação, o cachorro foi apreendido e encaminhado pela Afocato para internamento em hospital veterinário, onde recebe os cuidados necessários. Depois de recuperado será destinado para a doação, quando poderá encontrar um novo lar.

O tutor já foi intimado a esclarecer o crime, mas até o momento não compareceu à Delegacia. Caso não compareça, será novamente intimado e pode ser até conduzido por força policial para responder pelos seus atos.

Frequência

Casos semelhantes são atendidos com frequência pela equipe policial. Somente esta semana outras duas ocorrências graves chamaram a atenção. Uma de abandono de animal, onde o morador da casa se mudou e deixou o cachorro sozinho somente com água. A Promotoria de Justiça emitiu Mandado de Busca e Apreensão, mas os policiais não encontraram mais o animal no local denunciado.

A outra já resultou na responsabilização do tutor. Ele havia se mudado da residência e deixado nove filhotes dentro do terreno e os dois cachorros adultos, inclusive a mãe dos filhotes, do lado de fora. Também com mandado a polícia esteve no local e recolheu os animais. O tutor foi identificado e responde pelo crime.

Fonte: Jornal do Oeste

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo