Porca e filhotes resgatados de matadouro serão transferidos para abrigo de animais

A porca, de 300 quilos, será transferida para um local que abriga animais vítimas de maus-tratos
A porca, de 300 quilos, será transferida para um local que abriga animais vítimas de maus-tratos

A porca de aproximadamente 300 quilos, resgatada de um abatedouro do Monte Serrat, em Santos, na última quinta-feira, está bem próxima de um final feliz.

Ainda nesta semana, o animal batizado de Nina, será transferido da sede da Coordenadoria de Proteção à Vida Animal (Codevida), da Prefeitura de Santos, para um local que abriga animais vítimas de maus-tratos, no interior. A cidade não foi divulgada por questões de segurança.

Por enquanto, ela vive em uma baia separada, com água, verduras e legumes à vontade, sob os cuidados do tratador Dagner Rodrigues Loureiro.

Seis filhotes de Nina, que já têm um mês de vida, também permanecem na unidade, mas em local isolado, para que a fêmea não os machuque.

Entenda o caso

Nina foi localizada em um matadouro na terça da semana passada, no Monte Serrat, depois de a Vigilância Sanitária receber denúncia anônima

Resgate de animal contou com o apoio de 26 homens
Resgate de animal contou com o apoio de 26 homens

sobre o caso.

A força-tarefa para o fechamento do local aconteceu na terça-feira. Na ocasião, funcionários da Prefeitura de Santos tentaram fazer com que ela descesse pelas escadas, mas sem sucesso.

O resgate do animal só ocorreu dois dias depois. A operação, que durou quase quatro horas, mobilizou 26 pessoas, entre profissionais do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e da Regional dos Morros.

Nina foi retirada pela escadaria do morro sedada. Ela desceu em torno de 300 degraus, dentro de uma maca. Para a transporte, foram usadas cordas e pranchas. Pedaços de madeira viraram rampas improvisadas, por onde o animal foi sendo arrastado. A descida levou 40 minutos.

Conforme apurado pela Reportagem, o dono do abatedouro onde a porca foi localizado teria um terreno de criação de animais no Litoral Sul e os levava até o matadouro nos finais de semana. A carne suína seria utilizada em um restaurante em Cubatão.

Fonte: A Tribuna

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com