Amazon proíbe venda de foie gras em seu site após pressão de ativistas

           

Por Juliana Meirelles (da Redação)

Criando um precedente: a Amazon tomou uma "liderança ética" e retirou mais de 100 produtos de foie gras de seu site na sequência de pressões do Reino Unido de ativistas dos direitos dos animais.
Criando um precedente: a Amazon tomou uma “liderança ética” e retirou mais de 100 produtos de foie gras de seu site na sequência de pressões do Reino Unido de ativistas dos direitos dos animais.

A Amazon cedeu à pressão de ativistas da causa animal e decidiu parar de vender o cruel foie gras em seu site britânico. As informações são do Daily Mail.

O produto, que vem de patos e gansos que são alimentados à força para tornar seus fígados num tamanho não natural e enorme, foi adicionado a uma lista de itens proibidos.

Ele é altamente valorizado por alguns amantes da gastronomia e chef’s famosos, como Gordon Ramsay, que o incluiu em seus cardápios por muitos anos.

No entanto, no início deste ano, os ativistas do grupo de bem-estar animal Viva! pediram à Amazon que parasse de vender a iguaria em razão da crueldade envolvida na sua produção.

Apresentou para a Amazon provas em vídeo do sofrimento causado em sua produção e uma petição assinada por mais de 10.000 opositores do comércio.

A campanha seguiu uma investigação na França, que mostrou imagens chocantes de alimentação forçada em uma fazenda que os produtos fornecidos eram vendidos através da Amazon.

A filmagem de uma fazenda pertencente a um produtor chamado Labeyrie mostrou cenas angustiantes de patos sendo alimentados com grandes quantidades de grãos por meio de bombas pneumáticas.

 O grupo de direitos dos animais Viva! lançou uma campanha para mostrar à Amazon como os pássaros são tratados em fazendas na França, onde alguns de seus produtos se originam.
O grupo de direitos dos animais Viva! lançou uma campanha para mostrar à Amazon como os pássaros são tratados em fazendas na França, onde alguns de seus produtos se originam.
Eles pressionaram a Amazon com cartazes e as provas de vídeo que eles dizem que mostrou que os produtos que ela vendia vieram de fazendas onde as aves foram tratadas de forma cruel.
Eles pressionaram a Amazon com cartazes e as provas de vídeo que eles dizem que mostrou que os produtos que ela vendia vieram de fazendas onde as aves foram tratadas de forma cruel.

Estas aves foram vistas em gaiolas pelo grupo, onde uma barra de pinos automáticos as prendem no chão para impedi-las de evitarem serem alimentadas à força.

A produção de foie gras é ilegal no Reino Unido, uma vez que iria quebrar a legislação existente de bem-estar animal, no entanto, não é contra a lei vender produtos importados.

Antes da proibição, a seção de mercearia no Reino Unido Amazon Marketplace oferecia mais de 100 produtos com foie gras, incluindo latas de 75g por £ 15. Tanto a Amazon quanto os varejistas vendiam o controverso alimento.

Justin Kerswell, gerente de campanhas do Viva!, disse: “Foie gras é produzido principalmente se aprisionando aves em gaiolas tão pequenas que não podem se mover, forçando um tubo goela abaixo para alimentá-las até que seus fígados inchem a dez vezes seu tamanho natural.

As aves foram mantidas em gaiolas pequenas, com pouco espaço para se movimentar e alimentados à força com grãos.
As aves foram mantidas em gaiolas pequenas, com pouco espaço para se movimentar e alimentados à força com grãos.
Os animais enjaulados não têm luz natural e mal consegue se mover.
Os animais enjaulados não têm luz natural e mal consegue se mover.

“Eu não posso imaginar por que alguém iria querer comê-lo – ou ser envolvido em sua venda. É simplesmente tortura em uma lata. Não há nada de humano sobre induzir mecanicamente doença em um pássaro”.

Ele descreveu a decisão da Amazon de parar de vendê-lo como “uma incrível vitória” para quem se preocupa com os animais.

Mr Kerswell disse: “A Amazon deve ser parabenizada por ter uma liderança ética parando de vender foie gras no Reino Unido, mas esperamos que a postura ética seja expandida em todo o mundo”.

“Este é um exemplo perfeito de que a pressão do consumidor funciona, mesmo com empresas gigantes como a Amazon”.

A Amazon já removeu mais de 100 produtos com foie gras de suas fontes.
A Amazon já removeu mais de 100 produtos com foie gras de suas fontes.
Elogiando a empresa, Justin Kerswell, gerente de campanhas do Viva!, disse: “A Amazon está de parabéns por ter uma liderança ética parando de vender foie gras no Reino Unido, mas esperamos que a postura ética seja expandida em todo o mundo”.
Elogiando a empresa, Justin Kerswell, gerente de campanhas do Viva!, disse: “A Amazon está de parabéns por ter uma liderança ética parando de vender foie gras no Reino Unido, mas esperamos que a postura ética seja expandida em todo o mundo”.

“Nós estenderemos nossa campanha para outros varejistas on-line, como o eBay. Não devemos perder de vista o fato de que foie gras não é uma crueldade peculiar britânica”.

“Seria ilegal produzir na Grã-Bretanha e causa sofrimento incalculável para milhões de aves por ano na França e em outros países que o produzem”.

A organização está pedindo ao governo do Reino Unido que proíba as importações.

A campanha contra o foie gras, que também inclui a organização PETA, reuniu um grande número de apoiadores celebridades, incluindo Sir Paul McCartney, Sir Roger Moore e Brigit Bardot.

A Amazon não respondeu a um pedido para explicar por que tinha decidido proibir o produto. Um porta-voz disse: “Todos os vendedores na Amazon.co.uk devem seguir nossas diretrizes em relação aos produtos que disponibilizam para venda em nosso site”.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo