Safáris assassinos: quão baixo chega o ser humano?

           

Por Lobo Pasolini (da Redação)

Fotos de “caçadores” organizadas por uma empresa na África do Sul tem chocado pessoas nas redes sociais. Uma delas onde um grupo de pessoas posa ao lado do cadáver do elefante que ainda tem comida na boca já recebeu mais quase 48 mil compartilhamentos e muitos comentários expressando ultraje com a depravação da imagem.

As fotos estão no website de uma empresa cujas iniciais são FDT, que se define como uma empresa de safáris. Os clientes podem caçar com rifles, arco e flecha e outros métodos sádicos de eliminar a vida de um inocente pelo simples prazer de matar. Por $9.850 (R$22.468), o pacote inclui uma leoa e com mais $5.000 (R$11.405) é possível obter um “upgrade” para um leoa extra. Existe também um pacote ‘cristão’ chamado Provider for Christ Hunting Adventure.

A obscenidade desta empresa é uma coisa difícil para qualquer pessoa fora desse meio de pervertidos acreditar. Que pessoas possam pagar dinheiro para matar, e ainda o fazer através de seus grupos religiosos é nauseante, asqueroso e precisa ser proibido, já que aparentemente se trata de uma atividade legalizada na África.

Nota da Redação: Não divulgamos o nome da empresa e nem fotos para não dar mais publicidade para essa perverção, mas trata-se de uma empresa real na África do Sul. Queremos apenas que o mundo tome conhecimento dessa empreitada sinistra naquele país.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo