Vítimas de caçadores, restam menos que 350 tigres siberianos na natureza

           

Por Claudia Doppler (da Redação)

Um dos grandes felinos mais ariscos do mundo foi capturado por câmeras em uma rara filmagem na natureza. O tigre siberiano nunca foi filmado nos 50 anos de história da Unidade de História Natural da BBC. Mas, após seis semanas de acampamento em um dos lugares mais hostis do mundo, a equipe filmou o carnívoro para uma minissérie – “Operação Tigre da Neve” – de duas partes. As informações são do Daily Mail.

O tigre siberiano é o maior felino do mundo e caça cervos, javalis e ursos-cinzentos.

É o único tigre que sobrevive na neve a maior parte do ano. Apesar da pelagem laranja claro com listras pretas, é difícil de ser percebido, mesmo contra um fundo branco.

Entretanto, a espécie está ameaçada por caçadores e há, atualmente, menos do que 350 na natureza.

Um tigre siberiano pode alcançar até 30 mil libras no mercado negro. Os ossos são vendidos para medicina chinesa e a pele é pendurada em casas como sinal de status.

Os tigres chegaram a sobreviver no norte da Ásia, mas agora vivem apenas no extremo oriente da Sibéria, na Rússia. (Foto: Daily Mail)
Os tigres chegaram a sobreviver no norte da Ásia, mas agora vivem apenas no extremo oriente da Sibéria, na Rússia. (Foto: Daily Mail)
O tigre tem sido alvo de caçadores e pode alcançar até 30 mil libras no mercado negro. (Foto: Daily Mail)
O tigre tem sido alvo de caçadores e pode alcançar até 30 mil libras no mercado negro. (Foto: Daily Mail)

O tigre siberiano já chegou a sobreviver no norte da Ásia, mas agora vive em uma área relativamente pequena no extremo oriente da Sibéria, ao norte de Vladisvotok.

Para fazer a minissérie, a expert em tigres Liz Bonnin e uma equipe de cientistas viajaram em temperaturas de –32°C para ter novo conhecimento sobre paisagens selvagens que são a casa do carnívoro.

Eles filmaram os tigres fixando 30 pequenas câmeras em árvores, as quais eram ativadas quando os animais passavam. Eles também localizavam os animais através da neve e temperaturas abaixo de zero, seguindo pegadas gigantes.

Ela disse: “O extremo oriente da Rússia é um ambiente espetacularmente bonito e extremamente desafiador para trabalhar. Foi um verdadeiro privilégio trabalhar com cientistas que realmente acreditam que é simplesmente inaceitável o tigre ser eliminado desta paisagem, e que trabalham incansavelmente contra algo que é aparentemente insuperável, sua extinção”.

“Cada dia trouxe emocionantes descobertas e momentos angustiantes, e os tigres com certeza nos deixavam alertas a cada movimento. Foi uma aventura que ficará comigo para sempre”.

O tigre siberiano é o maior felino no mundo e é o único que sobrevive a maior parte do ano na neve. (Foto: Daily Mail)
O tigre siberiano é o maior felino no mundo e é o único que sobrevive a maior parte do ano na neve. (Foto: Daily Mail)
Apesar da sua pelagem laranja claro com listras pretas, o tigre siberiano é difícil de ser percebido contra um fundo coberto de neve. (Foto: Daily Mail)
Apesar da sua pelagem laranja claro com listras pretas, o tigre siberiano é difícil de ser percebido contra um fundo coberto de neve. (Foto: Daily Mail)
A equipe por trás da Operação Tigre da Neve, incluindo o Dr. Dale Miquelle, na foto, localizou o felino seguindo pegadas gigantes na neve. (Foto: Daily Mail)
A equipe por trás da Operação Tigre da Neve, incluindo o Dr. Dale Miquelle, na foto, localizou o felino seguindo pegadas gigantes na neve. (Foto: Daily Mail)

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo