Cadela pintada de rosa se recupera e ganha peso no RS

           
Vendedora abrigou o animal, que tem cerca de 8 meses e está desnutrido. Ela abrigou a cadela na semana passada após encontrá-la no lixo.
Rosa descansa na casa de vendedora que a acolheu após ser encontrada em lixo em Porto Alegre (Foto: Arquivo Pessoal/Bárbara Colombo)

A cadela “Rosinha” está ganhando peso e se recuperando bem após ser acolhida por uma moradora da capital gaúcha. O animal tem aproximadamente 8 meses e foi encontrada no meio do lixo, na terça-feira (3), em Porto Alegre. O animal teve o corpo pintado de rosa, está com desnutrição e com a saúde debilitada.

“Ela já ganhou 1,4 quilo e deve ter alta em até 40 dias, antes do que imaginávamos”, disse a vendedora Bárbara Levandovski Colombo, 40 anos, que adotou provisoriamente a cadela em sua casa, onde também abriga outros 48 animais abandonados.

Assim que terminar de ganhar peso e ter a saúde restabelecida, “Rosinha” deve ser castrada. Por enquanto, a cadela segue a rotina da clínica veterinária e também recebe alimentação especial e a companhia de outros cães.

“O certo para a idade dela é pesar 6kg, agora ela pesa quatro quilos”, comemorou a vendedora, que diz que a cadelinha comia lixo quando foi encontrada. A previsão é de que sejam necessários mais quatro banhos para que Rosinha fique livre de toda a tinta.

Rosinha, quando foi encontrada: desnutrição e abandono. (Foto: Arquivo pessoal)

Adoção

Na casa nova, a cadela ganhou também admiradores: segundo Bárbara, já são 100 os nomes de candidatos interessados em adotar a cadelinha. “Espero que o caso dela incentive e abra o coração para as tantas outras ‘Rosinhas ( cães e gatos)’ que aguardam adoção em suas cidades e que ainda não tiveram oportunidade de ser resgatados e sofrem nas ruas”, disse Bárbara.

Os critérios para a escolher a nova família de Rosinha, garante a cuidadora, serão rigorosos. “Tem que ser pessoas que entendam que vão ganhar um novo membro da família pelos próximos 15 anos. E que tenham cuidado, paciência, ainda mais por se tratar de um animal que já tem um histórico de abandono.”

Rosinha deve tomar mais quatro banhos até que toda a tinta rosa seja retirada de seu corpo (Foto: Arquivo Pessoal/Bárbara Colombo)
Rosinha, em foto recente: mais peso, lacinho e pedidos de adoção. (Foto: Arquivo pessoal/Bárbara Colombo)

Fonte: G1

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo