Cão que teve a boca dilacerada por rojão teve que ser eutanasiado em Curitiba (PR)

           
SPA Curitiba
informativo@spacuritiba.org.br

No dia 09 de março levamos o Tigrão, cão que teve sua boca lacerada e fraturada por rojão em 31/12/2010, para sua casa, conforme publicado pela ANDA.

Havíamos sugerido à família que nos deixassem encontrar um novo lar com mais condições para ele, falamos dos cuidados que deveriam ter com o cão, que ainda estava em recuperação, mesmo assim insistiram em ficar com ele. Levamos a medicação e pedimos que qualquer alteração nos contatassem. O osso não estava calcificando, havia sinal de infecção, foi feita a coleta de material e enviado para laboratório para identificar a bactéria e ficamos de levar a medicação assim que ficasse pronta, sendo que quando acabasse o antibiótico atual deveriam aguardar o correto e dar um descanso ao seu organismo. O Tigrão estava se alimentanto bem, não se incomodava mais com a cirurgia.

Neste sábado dia 9 de abril fomos levar a medicação nova para o Tigrão e o encontramos muito mal. Aparentemente havia brigado com um cão da vizinhança (sendo que a orientação era mantê-lo em segurança dentro do quintal, responsabilidade de qualquer família em qualquer situação), não comia há uma semana, havia larvas por toda sua boca, e para piorar haviam passado spray larvicida roxo o que causa intoxicação. Foi difícil de controlar a revolta diante da situação, falamos da irresponsabilidade, que deveriam ter ligado ou levado o animal como combinado, que não havia desculpa para deixarem o animal chegar naquele ponto.

O levamos para a Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba (SPAC). Foi atendido pela Dra. Cristiane Matiollo que o medicou e fez a limpeza dos ferimentos. Recebeu soroterapia com vitaminas, pois estava muito fraco. Achamos que nem sobreviveria à anestesia para retirada das larvas. Ontem ainda tentou comer com dificuldade e tomou mais soro.

O Tigrão foi atendido pela odontologista Dra. Priscila Matsunaga que recomendou a eutanásia. A cerclagem e aparelho que fixavam a fratura estavam soltos, a boca muito infeccionada, com quase nenhuma chance de recuperação, causando muito sofrimento.

Agora  família do Tigrão será denunciada por maus-tratos, pois tinham o apoio que precisavam e não procuraram. Seus problemas pessoais não justificam a falta de cuidado, mesmo que a SPAC não estivesse a disposição.

Soraya Simon
Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba
www.spacuritiba.org.br

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo