Mais um animal morre em minizoológico de Cubatão

           

Moésio Rebouças
moesioreboucas@yahoo.com.br

Não é de hoje que venho denunciando o desrespeito, maus-tratos e mortes de animais no minizoológico instalado dentro do Parque Ecológico Cotia-Pará, em Cubatão (SP).

Dias atrás mais um animal morreu neste local. Uma cobra caninana foi encontrada morta no serpentário. As autoridades do Parque só foram notar o óbito do animal dias depois do seu falecimento. Qual a causa da morte? Provavelmente, mais uma vez, eles vão dizer que o bicho morreu de “velhice” ou numa briga entre espécies.

O serpentário municipal foi inaugurado em novembro de 2007, com 10 espécimes de serpentes, seis jiboias e quatro caninanas. Hoje, se você for lá não encontrará a metade destes animais em “exposição”.

Um fato que aconteceu poucos meses atrás no serpentário revela muito bem o absurdo e o descaso que se passa contra os animais neste recinto. As cobras que sobreviviam ali foram transferidas para a “quarentena”, e no local foram depositadas várias espécies de pássaros. Mas como o serpentário tem uma grande janela de vidro para observação do público, algumas aves acabaram morrendo ao colidir com esta vidraça. Os pássaros possivelmente imaginavam que ali não havia nenhuma estrutura.

Em uma cidade que tem escassa tradição, se é que tem alguma, de luta de Libertação Animal e pelos Direitos dos Animais, somada à cumplicidade e omissão do Ibama (órgão federal que aprova e é responsável pela fiscalização dos zoológicos no Brasil), fatos como estes continuarão acontecendo sem nenhum pudor no minizoológico cubatense. Aliás, quantos animais já morreram naquelas instalações sinistras e não ficamos sabendo? Tudo um grande mistério.

Porém, se crianças começassem a aparecer misteriosamente mortas numa escola ou creche municipal, com certeza a grita seria geral. Mas quem se importa com “coisas”, com uns “animaizinhos” que não têm voz?

Hipócrita, triste e especista sociedade.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo