Animais são apreendidos após denúncia de maus-tratos em Londrina (PR)

           
Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) e a Ong SOS Animal, em parceria com a Força Verde, apreenderam manhã deste sábado (12 ) cerca de 20 cachorros e um cavalo após receber uma denúncia de maus-tratos dos animais em Londrina (PR). Os animais estavam sem água, ventilação e alimentos, além de apresentar diversos traumas pelo corpo.

De acordo com o Cabo Franco, relações públicas da 2ª Companhia Polícia Ambiental, o proprietário dos animais é um senhor de 92 anos que recolhe lixo reciclado nas ruas. O homem teria contado a polícia que pegava os animais da rua e os leva para casa, localizada na avenida Brasília (trecho urbano da PR 369, próximo a Vila Marísia). Ele é carroceiro e trabalha com a coleta seletiva.

“Ali não pode viver nem bicho e nem gente”, comentou a conselheira da SOS Animal, Andréa Jacomossi. Ela contou que o local não era apropriado para o acondicionamento dos animais. O cavalo, já cego de um olho, tinha a coluna torta e ficava em um local sem iluminação e ventilação e não tinha espaço suficiente para se locomover. “O pessoal não tem a menor consideração com os animais”, disse Andréa.

De acodo com a conselheira, os animais estavam desnutridos. “Levamos ração e você precisa ver a felicidade dos bichinhos quando começaram a comer”, disse. Na semana passada, uma equipe da Ong esteve no local e constatou as irregularidades. “De lá para cá, um cachorrinho morreu”, contou Andréa.

O tutor dos animais vai responder por crime de maus-tratos. A pena para este caso é multa de R$ 500 até R$ 3.000.

Fonte: O Diário

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo