Agricultor ambientalista cuida de animais silvestres em seus habitats

           

O agricultor Celestino Alves de Almeida cuidados animais na natureza. Foto:Michel Franck

Respeitando a liberdade de cada um deles, o agricultor Celestino Alves de Almeida, 60 anos,  cuida de muitos animais silvestres em seu sítio no Projeto de Assentamento Jaraguá a 50 km de Água Boa em Mato Grosso.

Antas pastam as mandiocas do quintal, macacos, quatis e preás vêm em busca de alimentos colocados ao lado da casa. Os pássaros vivem na natureza e se alimentam de frutas e alpistes que o agricultor compra especialmente para a finalidade de alimentá-los  melhor.

Um caixote serve de ninho seguro para os pássaros. Foto: Michel Franck

Para livrar dos predadores os ninhos são feitos cuidadosamente em caixotes de madeira e colocados dentro da casa. “Tudo começou há alguns anos quando um João de Barro – ave rara na região – usou um velho penico que estava pendurado em uma mangueira para fazer a casa e dali saiu muitos filhotes, os que nascem aqui já  ficam  mansos pela convivência,” disse o agricultor ambientalista.

Passarinhos recém nascidos. Foto: Michel Franck

Os pássaros que cuida são de espécies variadas: João de Barro, Rolinha, Sabiá-laranjeira, sanhaços, Bem-te-vi, Canários, Saracuras, Pássaro-preto, etc. “Tem um pássaro rabudo dos olhos vermelhos que não sei o nome entra em casa eu pego ele e faço carinho”. A cisterna se transformou em aquário. Há muitos anos, é criado um peixe (Iuiú) que na hora da alimentação é só chamar que ele aparece.

Pássaros livres que são cuidados por seu Celestino. Foto: Michel Franck

Celestino é natural de Xique-Xique (BA) mudou ainda criança para Buriti (MG), depois para Campinápolis (MT) e em Água Boa no ano de 1998 foi assentado pelo INCRA onde vive da criação de gado. Sua propriedade de 48 hectares é composta por pastagens, mata ciliar com árvores centenárias às margens do Córrego das Antas e extensa área de varjão. Ele ficou viúvo a mais de 10 anos e vivem sozinho. Seus filhos já casados moram na região. Nas horas de folga se distrai entoando com um violão músicas caipiras e cuidando dos animais que aparecem da mata para receber carinho, alimentos e fazer companhia.

Fonte:  Água Boa News

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo