Mais de 40 pessoas se oferecem para adotar cão que seria jogado de ponte em Vitória (ES)

           
Foto: reprodução TV Vitória

Antes desprezado pelo próprio tutor, o cão que seria jogado da ponte da Passagem, em Vitória (ES), por estar infestado de carrapato agora pode escolher entre mais de 40 pessoas para ser adotado.

Na última segunda-feira (27), Caio Fernando de Oliveira Almeida, de 19 anos, foi preso ao ser flagrado pela polícia ao tentar arremessar o animal na água com uma pedra amarrada ao pescoço. “Segundo o acusado, ele estava jogando o cachorro na água porque ele estava cheio de carrapatos e como não tinha como cuidar e resolveu jogá-lo no mar”, disse o soldado Leonardo ao prender o acusado.

Após o crime, o cachorro foi adotado por uma policial militar até que alguém se prontifique a adotá-lo. Soldado Lorena, que levou o cão para casa depois do incidente, conta que a realidade dele agora é bem diferente e há várias pessoas interessadas na adoção. “Ele está bombando. Virou uma celebridade e em todo o canto tem gente ligando e parabenizando. Mandaram torpedo até do Rio Grande do Sul me dando os parabéns. Estou feliz porque tem muita gente se comovendo. Foram mais de trinta ligações”, conta.

Ao recolher o animal, a policial diz que a parede da casa onde mora foi tomada por carrapatos devido à infestação de parasitas no cão. “Ele se mexia e voava carrapato na gente. A parede ficou cheia de carrapato e ele estava muito ruim”, relata Lorena. Como o estado de saúde do cachorro era delicado, a militar deixou o animal aos cuidados de uma vizinha, que faz parte da Sociedade Protetora dos Animais. “Ele está internado na clínica e quem está arcando é minha vizinha que é protetora de animais. Deleguei essa função para a protetora. Na clínica ele tomou banho, foi medicado e os carrapatos estão saindo”, diz a policial.

Anemia e transfusão

Ele agora terá um lar e uma família que merece. Foto: divulgação

Na tarde desta quarta-feira (29) o cão passou por uma transfusão de sangue para curar um quadro de anemia decorrente da quantidade de carrapatos que estavam prejudicando a saúde do animal. “A infestação de carrapato é tão grande que ele apresenta um quadro hemorrágico. Está sendo transfundido e está e se recuperando bem”, conta doutora Rose, veterinária responsável pelo cão na clínica onde ele está internado em Vitória. “É um cão jovem e tem todas as condições para se recuperar. A transfusão é para acelerar o processo de cura”, explica a especialista.

Segundo a veterinária, a infestação de parasitas causou uma anemia no bicho. “Não é normal encontrar um animal com essa quantidade de carrapatos. Muitos parasitas podem transmitir algumas doenças. A falta de atenção adequada e um local não apropriado levaram ele a ficar desse jeito. Ele iria morrer com certeza em menos de três semanas porque na situação que estava não tinha como recuperar. Ele iria entrar num quadro de anemia proufunda sem reversão”.

Nova família
Na clínica onde o cão se recupera da anemia mais de dez pessoas telefonaram para a médica veterinária responsável oferecendo todo o tipo de ajuda. “Na realidade as pessoas estão mais interessadas em adoção e ajuda financeira. Tem gente que se oferece até para pagar a conta da clínica”, revela Rose.

Apesar da quantidade de ligações recebidas, a veterinária afirma que não é ela quem vai escolher um novo tutor para o cachorro. “A adoção na realidade é a Solange, que é protetora, que tem os critérios, faz entrevistas e avalia quem tem condições de cuidar do cão no futuro”.

Para quem pretende adotar o cachorro, doutora Rose conta que a expectativa é que o animal permaneça saudável por muitos anos. “Ele vai viver mais de dez anos. É muito brincalhão, alegre, ativo e se alimenta bem. É um bom filhote. Quem adotar deve acolher pela vida inteira”.

Fonte: Folha de Vitória

Nota da Redação: Gostaríamos que todos os casos tivessem um final feliz como esse. Estamos torcendo para que ele reestabeleça rapidamente a sua saúde. Força!

Comunicar erro

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo