Cavalo brutalmente espancado é socorrido por protetores de animais de Curitiba (PR)

           

Lauro Fujihara
laurofujihara@terra.com.br

Quase 20h da última quinta-feira (16), recebemos ligação de uma moradora do bairro Vargem Grande no município de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), pedindo ajuda para um cavalo que estava caído desde às 9h na rua. Pedimos o apoio da Polícia Militar que nos acompanhou até o local. Após verificarmos a veracidade e gravidade da situação pedimos ajuda ao Dr. Tiago Carcereri que foi até o local e atendeu o animal voluntariamente.

O animal havia sofrido algum trauma na região da cabeça que estava muito inchada, olho esquerdo e narinas vazando sangue e pus. Conseguiu se levantar, recebeu medicação forte para dor e inflamação, mas não tínhamos tudo que seria necessário para atendê-lo. Pedimos ajuda para um vizinho que estava no local para deixá-lo até o dia seguinte em seu quintal e nos avisasse sobre qualquer evento ou caso o responsável pelo animal aparecesse.

O cavalo estava com o olho inchado e sangrando bastante pelo nariz. Foto: Divulgação

Logo cedo tentamos conseguir um transporte para o cavalo com o Centro de Controle de Zoonozes e Vetores (CCZV) de Pinhais, mas o único veículo destinado para este fim estava no concerto. Entramos em contato com o Hospital Veterinário da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que nos indicou o Sr. Arildo que prontamente aceitou fazer o transporte nos cobrando o valor de R$ 80,00.

Enquanto cuidávamos do transporte, a Dra. Flávia Pereira que estava de plantão na SPAC e o Dr. Tiago providenciaram toda medicação necessária para seu atendimento na Propecuária, que o Dr. Tiago foi buscar, pois demoraria para ser entregue.

Ao chegarmos no local o cavalo ainda estava em pé mas com muita dificuldade para respirar, os dois olhos fechados, o inchaço havia aumentado  e hipotermia e ainda em baixo de chuva. Quando fomos fazê-lo entrar no caminhão caiu e não levantou mais. Por sorte o Departamento de Meio Ambiente de Pinhais encaminhou um caminhão com um guincho e alguns funcionários para ajudar a içar o cavalo e levá-lo para Colombo para chácara da SPAC onde encontraríamos o Dr.Tiago para seu atendimento.

Sem o socorro o cavalo teria agonizado até à morte. Foto: Divulgação

Neste meio tempo o responsável pelo animal apareceu. Segundo o que nos relatou, na quarta-feira dia 15 encontrou o animal no terreno onde o deixava amarrado, muito ferido, havia sido espancado na região da cabeça. Aplicou algum medicamento no animal e como estava muito ferido o deixou no terreno sem a corda, foi trabalhar e quando voltou o cavalo não estava mais lá. Não acreditamos que tenha algo a ver com a agressão ao cavalo, mesmo assim pegamos suas informações. Avisamos que o cavalo seria levado para a SPAC e que não retornaria, pois não tinha condições de mantê-lo em segurança e dar o atendimento que precisava, e que após recuperado seria encaminhado para adoção.

O estado do cavalo era grave, chegamos até a questionar se estávamos fazendo a coisa certa, mas seguimos nossa consciência pela indicação que só precisaria da medicação correta e teria grandes chances de recuperação.

Felizmente o cavalo sobreviveu ao transporte, foi devidamente medicado e conseguiu se levantar no mesmo dia. Hoje sua face já estava um pouco melhor, ainda não consegue levantar a cabeça, mas está comendo bem, farelo de milho e de trigo e sal mineral que é de fácil mastigação.

Agradecemos a todos que entraram em contato para fornecer transportes para cavalos. O Sr. Arildo que iria transportar o cavalo, e nos acompanhou até o local, não quis cobrar nada pela viagem perdida, que já estava com preço muito bom. Seu contato caso alguém necessite deste serviço (41) 9102-7769.

Protetores pedem que sejam dadas informações sobre quem cometeu este crime. Foto: Divulgação

Pedimos que se alguém tiver alguma informação sobre os responsáveis por esta agressão, por favor, nos comuniquem. Este cavalo não foi a primeira e não será a última vítima!

Segue em anexo fotos do atendimento na noite da quinta-feira, fotos do cavalo já em atendimento na SPAC e fotos dele no dia de hoje. Não tivemos espírito para registrar nenhuma foto antes e durante o levantamento do cavalo para transporte, pois foi realmente muito angustiante.

Denúncias devems er feitas para:

Soraya Simon
Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba
www.spacuritiba.org.br

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo