Duas iguanas são apreendidas em caixa de Sedex dos correios

           

 Animais estavam embrulhados com folha de carbono, misturado com CDs, dentro de uma caixa de papelão

O Fisco Estadual interceptou ontem, na agência central dos Correios, na BR-230, uma encomenda inusitada e ilegal. Numa caixa com uma folha de carbono e cds foram encontradas duas espécies de iguanas verdes, que vinham de São Paulo com destino a uma residência em João Pessoa. O embrulho pretendia dificultar a identificação dos animais por raios-x, o que não impediu que os agentes desconfiassem do material presente na caixa e fossem conferir o que havia na encomenda. A Polícia Ambiental foi acionada para fazer o encaminhamento das espécies até o Centro de Triagem de Animais, que vai avaliar as condições de saúde das iguanas e devolvê-las ao meio ambiente.

(Foto: Alessandro Assunção/ON/DA Press)

O caso de crime de tráfico de animais silvestres será apurado pela Polícia Federal, mas o capitão Andrade, da Companhia de Polícia Ambiental, afirma que a venda de animais silvestres tem sido cada vez mais comum através da internet: “Há muitas vendas por sites, em que o comprador e o vendedor se comunicam por códigos, mas tudo isso é encaminhado para investigação”, explica o capitão Andrade. Ele acrescenta que as condições em que as iguanas estavam sendo levadas não permitia resistência por muito tempo. “No caso de um animal como esse, se eles passassem dois dias na caixa, a possibilidade de morte seria imediata”, disse o capitão.

Com a apreensão da carga, os endereços do remetente e do destinatário foram encaminhados para que a Polícia Federal e a delegacia competente façam o interrogatório para identificar os responsáveis pelo crime. A penalidade inclui um ano de detenção e aplicação de multa no valor de até R$ 5 mil. Em média, a Polícia Ambiental recebe na Paraíba um volume de 20 denúncias por mês, mas a principal dificuldade enfrentada para coibir esse tipo de crime é a realização do flagrante: “Há uma dificuldade em realizar o flagrante, mas recebemos denúncias de pessoas que estão fazendo o transporte irregular de uma cidade para outra, além da entrega pelos Correios”, disse o capitão Andrade.

A Assessoria de Comunicação (Ascom) dos Correios informou que as pessoas que utilizam os serviços de entrega de forma criminosa também deverão responder pelo “uso indevido do serviço dos Correios”. A Ascom também informou que esse tipo de situação, em que animais são transportados, não são muito recorrentes, mas que são fiscalizados junto com o Fisco Estadual, sempre que há suspeita da carga.

A população pode colaborar com a denúncia desses casos, através dos telefones 190, da Polícia Militar (PM), bem como pelo número 3218 7222, da Polícia Ambiental e a linha verde do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), também através do contato 0800 618080, todos com garantia de sigilo ao denunciante.

Fonte: O Norte

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com