Doença infecciosa matou lince-ibérico que esteve em Portugal no início do ano

           
Estima-se existirem, pelo menos, 226 animais nas únicas duas populações viáveis, na Serra Morena e em Doñana.Foto: Reprodução/Público

O Caribú, lince-ibérico que passou a fronteira e esteve em Portugal no início do ano, morreu vítima de uma falha renal causada por uma doença infecciosa, revelaram as autoridades espanholas.

Caribú, de cinco anos, foi encontrado morto em 18 de setembro, em Lucena del Puerto, “apresentando uma fraca condição física, consequência da doença renal”, explicaram ontem em comunicado os responsáveis pelo programa Life Lince. “As fontes de contágio mais prováveis para o lince poderão ser a ingestão de roedores infectados ou o consumo de água contaminada”, acrescentam os especialistas.

Foto: Gema Ruiz

A causa da morte, infecção pela bactéria Leptospira interrogans, foi revelada através da necropsia realizada no Centro de Análises e Diagnóstico da Junta de Andaluzia.

As doenças infecciosas são hoje a principal causa de morte do lince-ibérico na população de Doñana-Aljarafe, seguidas dos atropelamentos, salientam os responsáveis espanhóis pela conservação in-situ.

Caribú era originário da Serra Morena que, com Doñana, representa uma das duas únicas zonas com populações viáveis de lince-ibérico do planeta.

Foto:DR

Em dezembro de 2008, foi um dos linces transferidos da Serra Morena para reforçar a população de Doñana. Graças a um emissor de GPS colocado no animal, os técnicos descobriram que Caribú fazia grandes deslocações para Norte. “Os seus movimentos proporcionaram uma valiosa informação sobre os processos de dispersão deste felino, utilizada para a planificação das reintroduções” que o Governo espanhol tem realizado desde o final de 2009, segundo a informação disponibilizada nessa altura no site do projeto Life Lince da Junta da Andalucia.

Em 27 de janeiro, as autoridades espanholas contataram o Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB), comunicando que o lince tinha entrado em território português, na zona de Moura-Barrancos, onde ficou durante três dias. Foi uma confirmação rara de que animais desta espécie ameaçada de extinção atravessam a fronteira.

O lince-ibérico (Lynx pardinus) é a espécie de felino mais ameaçada do planeta. Hoje, estima-se existirem, pelo menos, 226 animais nas únicas duas populações viáveis, na Serra Morena e em Doñana. Segundo os dados mais recentes – referentes a 2009 – existem, pelo menos, 160 linces na Serra Morena. Destes, 40 são fêmeas e 48, filhotes. Em 2002 existiriam apenas um total de 66 animais. Em Doñana, os núcleos populacionais são mais fragmentados, devido principalmente à agricultura intensiva de regadio. No ano passado existia em Doñana um total de 66 linces, dos quais 18 fêmeas e 21 filhotes.

Fonte: Público

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo