Seis pessoas são condenadas por organizar rinha de galos na Espanha

           
Por Raquel Soldera (da Redação)

Em Langreo, conselho localizado na Astúrias, ao norte da Espanha, seis pessoas foram condenadas a pagar uma multa de 1.440 euros, sendo 240 euros cada um, por maus-tratos a animais, devido a uma rinha de galos organizada em uma residência no município.

O julgamento aconteceu no dia 13 de maio, e o juiz também impôs uma pena de um dia de cárcere privado para cada multa que não for paga.

Segundo relatos do Ministério Público, agentes da Guarda Civil comprovaram que, no dia 23 de fevereiro de 2008, nos fundos de uma residência de Cuesta de Arco, eram realizadas rinhas de galos com apostas. No recinto foram encontradas muitas pessoas sentadas ao redor de um ringue onde os galos eram obrigados a lutar, e onde foram encontrados restos de sangue e penas ensanguentadas.

Imagem: Qué.es

No local os agentes também encontraram dois galos com ferimentos graves, resultantes de uma briga anterior. Também foram encontradas esporas reforçadas por borracha, e pranchetas destinadas a anotar as apostas, que incluíam dados dos galos e dos responsáveis, e pequenas bolsas contendo materiais para curativos.

Os agentes também encontraram limas utilizadas para afiar as esporas dos galos, e tubos de cola destinados a “colar” as feridas, em vez de darem pontos.

As rinhas de galos estavam sendo organizadas pela Associação de Galistas de Astúrias, onde os acusados ocupavam os cargos de presidente, vice-presidente, secretário, tesoureiro e juiz das rinhas.

Com informações de Qué.es

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo