54 peixes-bois são encontrados no litoral nordestino

           
Foto: Divulgação

Um dos animais marinhos que se encontram ameaçados de extinção no litoral brasileiro é o peixe-boi marinho. Mas o censo aéreo realizado pela Fundação Mamíferos Aquáticos, pelo Projeto Peixe-Boi (PPB) e pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) trouxe uma boa notícia. A pesquisa encontrou 54 desses animais vivendo no litoral nordestino.

No Ceará, foram encontrados quatro peixes-bois. A doutoranda em Oceanografia e pesquisadora do projeto, Maria Danise de Oliveira Alves, ficou feliz com o resultado. “Esse número representa uma abundância expressiva de animais na região”. A expectativa era de que os peixes-bois fossem encontrados nos extremos do litoral, devido a uma pesquisa feita anteriormente. Mas estavam concentrados somente no litoral leste, mais precisamente na praia de Icapuí, a 200 km de Fortaleza.

A doutoranda acredita que o motivo para não ter encontrado os animais no litoral oeste se deve às mudanças provocadas pelo homem no local, mas também pode ter sido simplesmente por razões naturais.

“O resultado encontrado no litoral cearense foi muito bom. Com a análise aprofundada desses números, poderemos saber mais detalhes da vida dos peixes-bois nessa região”, explicou a pesquisadora.

Danise explicou que, na praia de Icapuí, a partir do ponto em que a intervenção do homem tem início, os peixes-bois não são mais encontrados. “Isso se deve ao fato de esse ser o local onde as pescas acontecem. E a pesca de arrasto do camarão, por exemplo, destrói todo o local de alimentação do animal”, frisou Danise Alves.

Em todo o Nordeste, o litoral com o maior número de animais encontrados foi o do norte de Alagoas, com 16 avistados. Em segundo lugar, ficou a Paraíba. Em suas praias foram achados 12 peixes-bois.

Para Danise, existe uma razão para um número tão elevado de animais encontrados naquele estado. “A qualidade da água do mar em Alagoas é muito superior a dos outros. Por isso o mar é mais cristalino, e tivemos a oportunidade de observar com mais facilidade”.

Para fazer o mapeamento, os pesquisadores sobrevoaram o litoral munidos de máquinas fotográficas, câmera de vídeo e planilhas específicas, a uma altitude aproximada de 150 metros, velocidade de 120 km/h, até 1,5 milha mar adentro.

O Ceará é recordista brasileiro em registros de encalhes de peixes-bois. A média é de três anualmente. Por isso, no próximo ano, o Estado vai ganhar um centro de reabilitação para esses animais, que será de referência nacional.

Numa parceria com a Petrobras, a Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis) vai construir um centro de reabilitação para os peixes-bois, no Sesc de Iparana, em Caucaia, que deve estar pronto em 2011. O centro não vai servir para resgatar os animais encontrados somente no Ceará, mas também os achados em outros estados.

Hoje, quando um animal encalhado é encontrado ainda com vida, vai para a Aquasis, que faz a remoção e encaminha o peixe-boi para Itamaracá, no litoral de Pernambuco, sede do Projeto Peixe-Boi.

Fonte: Diário do Nordeste


Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo