Rinhas de orangotangos continuam em parque de diversões tailandês

           

Por João Marcos Ezaquiel Nascimento   (da Redação)

Em mais um condenável caso de exploração de animais para entretenimento humano, um parque de diversões tailandês promove rinhas de orangotangos.

Orangotando em ringue de luta, no Safari World, Tailândia. (Foto: Reprodução)

O Safari World, perto da capital tailandesa Bangcoc, já foi condenado por promover o famigerado “kickbox de organgotangos”, mas a prática continua.

Segundo ativistas pelos direitos dos animais, os orangotangos têm que ser capturados bebês para poderem ser domesticados. Para capturar um filhote, é preciso matar a mãe e qualquer outro membro do bando que o tente proteger. Para piorar as coisas, o orangotango, típico das ilhas da Indonésia, está em extinção.

A exploração de animais não tem graça nenhuma

O antro de atrações turísticas macabras submete orangotangos a lutas de kickboxing (esporte em que os combatentes se atacam com o uso dos punhos e das pernas). As fêmeas são usadas como “animadoras de plateia”.

Foto: Reprodução/Daily News
imagem dos orangotangos vestidos para lutar, no ringue

O Safari World, no entorno de Bangcoc, tem atraído grandes plateias sádicas que vibram com os orangotangos sendo forçados a vestir luvas de boxe e treinando para trocar socos e chutes.

Enquanto os machos se preparam para a luta a que são forçados, orangotangos fêmeas desfilam em biquinis mostrando o número do round.

Conforme garante um repórter investigativo, depois do show de 30 minutos, os orangotangos retornam às suas gaiolas sujas e escuras.

“É triste que as pessoas achem isso interessante,” disse Debbie Leahy, diretora de animais cativos da PETA.

“Quando você vê esses animais executando o que são habilidades completamente não naturais… eles não estão fazendo porque querem fazer, eles estão fazendo porque têm medo de não o fazer,” Leahy disse.

O Daily Mail de Londres recebeu um vídeo expondo as bárbaras lutas no Safari World e mostrando turistas torcendo empolgados enquanto macacos se socavam.

Enquanto organizadores insistem que os orangotangos foram treinados para disfarçar como se tivessem sido nocauteados, ativistas indignados dos direitos animais alertam para o abuso que os animais de 120 quilos sofrem enquanto são treinados.

“É de partir o coração que tais práticas ainda ocorram”, contou Grainne McEntee do grupo de resgate da vida selvagem Borneo Orangutan Survival ao Daily Mail. O governo Tailandês baniu as lutas de macacos do Safari World em 2004 – e apreendeu 48 orangotangos que tinham sido contrabandeados da Indonésia.

Ainda não ficou explicado por que o show de maus-tratos fora permitido mais uma vez.

Com informações do Virgula.com.br e Daily News

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo