Tartaruga-de-couro de 300 kg morre em praia de Portugal

           

Ferida, desorientada ou doente. São estas as explicações do biólogo Mário Diniz para o aparecimento de uma tartaruga-de-couro na praia da Mina, em Alcobaça. O animal foi encontrado morto na quinta-feira passada (28), mas as autoridades acreditam que ela chegou à praia 48 horas antes, mas não foi socorrida a tempo. Ela pesava mais de 300 quilos e media quase dois metros de comprimento.

“Estes aparecimentos no litoral acontecem sempre porque algo correu mal. Ou porque os animais ficam doentes, se ferem ou se desorientam. São animais de alto-mar, que passam por aqui e depois desviam-se das suas rotas habituais”, explicou Mário Diniz.

À semelhança de golfinhos e baleias, as tartarugas também são, por vezes, apanhadas nas redes de pesca, acabando por morrer. Esta tartaruga-de-couro apresentava traumatismos, mas não tinha vestígios de redes nem de arpões, pelo que se torna mais difícil descobrir a origem da sua morte.

Apesar de este episódio ser raro, nos últimos anos (entre 2004 e 2009) foram registrados mais de 70 animais de oito espécies distintas na zona costeira de Alcobaça.

As tartarugas-de-couro têm tendência para se tornar mais raras. Frequentam uma área geográfica vasta, que se estende da Islândia à Nova Zelândia.

Os especialistas acreditam que esta espécie de tartarugas já esteja sofrendo com as alterações climáticas, porque, ao contrário do que seria natural, estão surgindo mais na zona do Atlântico Norte.

Fonte: DN

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo