Dança de chimpanzés sugere compreensão do fogo

           
Os cientistas sugerem que os chimpanzés têm capacidade cognitiva suficiente para prever o avanço do fogo. (Foto: Getty Images/Terra)
Os cientistas sugerem que os chimpanzés têm capacidade cognitiva suficiente para prever o avanço do fogo. (Foto: Getty Images/Terra)

Chimpanzés já foram vistos dançando sob chuvas e tempestades. Agora, eles parecem possuir uma “dança do fogo” também. É o que se pode depreender depois que um chimpanzé macho dominante encenou esse “rito” em frente a um fogo da savana, no Senegal. As informações são do New Scientist.

O antropólogo Jill Pruetz, da Universidade Federal de Iowa, relata que o macho encarou o fogo “de uma maneira exageradamente lenta”, antes de se virar e “encenar” para chimpanzés que se protegiam em uma árvore. Sons similares a latidos também foram emitidos pelo chimpanzé – sons aliás nunca antes registrados em mais de 2 mil horas de monitoramento do grupo.

Segundo a matéria, os cientistas sugerem que os chimpanzés observados tiveram capacidade cognitiva suficiente para prever o avanço do fogo, movendo-se quando necessário e mantendo-se calmos. Essa postura contrasta com a de outros animais, que entram em pânico em face a incêndios.

Pruetz avalia que, “se chimpanzés, com seus cérebros pequenos, conseguem lidar conceitualmente com fogo, talvez devêssemos repensar as origens do uso do fogo”. A mais antiga evidência de controle ígneo data de alguns milhares de anos, mas alguns paleantropólogos sugerem que o uso do fogo teria começado entre 1 e 2 milhões de anos atrás.

Para o primatólogo William McGrew, da Universidade de Cambridge, ainda é cedo para defender que os chimpanzés seriam aptos a “conceber o fogo mentalmente”, mas acredita que futuros trabalhos poderiam render bons resultados.

Fonte: Terra

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo