Estudo relaciona crueldade com animais e violência doméstica nos EUA

           

Por Raquel Soldera (da Redação)

Sempre que os oficiais de proteção aos animais investigam denúncias de crueldade contra animais de estimação, eles também observam as crianças das casas. Isso porque existe uma relação conhecida entre os maus-tratos aos animais e a violência doméstica.

“Não é incomum que um gestor da SPCA encontre uma criança ou um idoso que também foi vítima de violência doméstica”, disse Phil Arkow, consultor da American Humane Association, uma federação nacional de proteção aos animais e às crianças, com base em Denver, nos Estados Unidos.

“Casos de crueldade raramente ocorrem de forma isolada”, continuou Arkow. “Os maus-tratos aos animais são normalmente a ponta do iceberg de uma família ou indivíduo que necessita de intervenção”.

A American Humane Association tem um programa chamado “Link da Violência”. Arkow disse que a Associação está tentando relacionar casos de violência no mesmo endereço, em conjunto com outras agências da comunidade. Para isso, precisam fazer com que promotores e juízes reconheçam a crueldade contra animais como crime.

“Uma criança que maltrata animais deve ser vigiada. Na década de 1980, o FBI descobriu que serial killers tiveram uma história de crueldade contra animais”, disse Arkow. E na década de 1990, pelo menos 50% dos atiradores de escolas também teriam maltratado animais.

“Há muitas explicações para as pessoas serem cruéis com os animais e com os seres humanos”, disse Arkow.

Frank Ascione, presidente da American Human Society e diretor executivo do Instituto Human-Animal Conection, da Universidade de Denver, realizou um estudo entrevistando mulheres em um abrigo de violência doméstica no norte de Utah, em 1998. Das 38 mulheres agredidas por violência doméstica, 58% tinham filhos e 74% tinham animais de estimação. Quase 71% das mulheres que tinham animais de estimação disseram que seus parceiros ameaçaram, mataram ou feriram um ou mais dos seus animais.

“Nem todos os homens que maltratam as mulheres são os mesmos”, disse Ascione. “É uma outra maneira de afirmar o controle. Se você machucar um animal de estimação, provoca medo.”

Um estudo mais amplo, “Violência contra a Mulher”, foi realizado em 2007 por Ascione e cinco professores de outras universidades nos Estados Unidos. Os pesquisadores descobriram que as mulheres residentes em abrigos de violência doméstica tiveram quase 11 vezes mais relatos de que seu parceiro tinha ferido ou matado animais de estimação em comparação a um grupo de mulheres que não tinham vivenciado a violência doméstica”, afirma o estudo.

“Agora que vários estudos têm sido realizados sobre a relação entre violência doméstica e crueldade contra os animais, o próximo passo é a investigação para descobrir por que isso acontece”, disse Ascione.

Com informações de Daily Local News

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo