Americano vai passar um ano na cadeia por matar cachorro da namorada

           

Por Karina Ramos (da Redação)

Policiais de resgate animal estão elogiando o processo bem-sucedido contra um homem de Hull (Estados Unidos) que matou o cachorro de 8 semanas de idade da namorada.

Deni Goldman, policial do Controle Animal de Hull, disse que vai retornar as cinzas do cachorrinho, que se chamava Pong, a sua tutora nesta semana, finalizando um processo de oito meses que começou quando a tutora de Pong encontrou seu pequeno cão Chin Japonês sem vida e ensanguentado.

A investigação levou à prisão e condenação de Todd Craaybeek, 23 anos, que já está na cadeia para cumprir um ano de pena por crueldade contra animais. Ele confessou sua culpa no Tribunal de Hingham District, em setembro.

Foto do assassino Todd Craaybeek, retirada do MySpace.com
Foto do assassino Todd Craaybeek, retirada do MySpace.com

“Não poderíamos estar mais felizes com o resultado”, disse Deni, que trabalhou com a tutora de Pong, com a Liga de Resgate Animal de Boston e com o departamento de patologia do Hospital Veterinário de Tufts para processar Todd.

Embora a crueldade animal seja considerada um crime grave em Massachusetts, os criminosos raramente vão para a cadeia.

Uma declaração divulgada pela Liga de Resgate Animal de Boston disse que a condenação foi o resultado de uma colaboração bem-sucedida entre a polícia de Hull e especialistas forenses da liga de resgate e de Tufts.

A polícia começou a investigar a morte de Pong em abril, após terem sido chamados a uma residência de Hull para investigar uma acusação de violência doméstica.

A namorada de Todd disse à polícia que havia encontrado seu cachorro morto em sua gaiola com sangue saindo de sua boca. Todd, que havia cuidado do cachorro, disse à namorada que ele estava dormindo. Depois ele confessou que bateu em Pong porque o animal o teria mordido.

Depois de as análises de raios X do corpo terem mostrado que o animal sofreu “algum tipo de morte traumática”, uma necropsia realizada no departamento de patologia de Tufts revelou que ele havia sofrido hemorragia interna e traumatismo craniano.

Após o relatório ter sido entregue à polícia de Hull, Todd foi processado no dia 28 de maio e preso sob a fiança de $2.500.

No dia 4 de setembro, um juiz o considerou culpado e o condenou a três anos de prisão, sendo um ano na cadeia e dois anos suspensos.

“Estes caras começam com filhotes de cachorro inocentes e depois atacam seres humanos. Fico feliz com esse resultado, assim as pessoas podem acordar para o que acontece em um ambiente doméstico ruim”, disse Deni.

Fonte: Animal Concerns

Nota da Redação: Ao contrário da impunidade que acaba por proteger e estimular os crimes de crueldade contra animais cometidos aqui no Brasil, os EUA dão um exemplo de justiça e respeito para com os animais que sofrem abusos. Os animais não humanos precisam, como nós, ser tratados como sujeitos de direito, e qualquer violência praticada contra eles deve ser vista como crime injustificável.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo