Organização de proteção a cães e gatos promove Natal dos bichos para incentivar adoções

           

A Quadra 104 Sul, em Brasília, esteve especialmente movimentada durante toda a manhã de sábado por uma turminha bem agitada: Lupita, Pepê, Dalila, Biank, Melissa, Cindy, todos cães e gatos. Entre latidos e miados, esses animaizinhos participaram do Natal dos Bichos, promovido pela organizção não governamental Bsb Animal, grupo independente e sem apoio financeiro governamental ou privado, formado por vários protetores de animais. O evento também contou com a participação de parceiros da entidade como pet shops, clínicas e veterinários.

 - (Evandro Matheus/Esp. CB/D.A Press )  

Além de oferecer cachorros e gatos para adoção, a iniciativa de ontem promoveu um bazar beneficente para arrecadar fundos para a entidade, que existe há dois anos. “Temos 11 voluntários que ajudam nos cuidados com os bichos, no resgate deles das ruas. Todo primeiro sábado de cada mês, realizamos esse evento para ajudar com as nossas despesas. O de hoje (ontem) é especial por ser o último do ano, próximo ao Natal por isso estamos vendendo objetos alusivo a essa data também”, explica a presidente e fundadora do Bsb Animal, Márcia Dias.

São comercializados objetos provenientes de doações como roupas, bijuterias, bolsas, sapatos, além de outros confeccionados artesanalmente pelos próprios voluntários do grupo como peças para decoração e camisetas bordadas. Márcia Dias explica que todos os animais recolhidos nas ruas de Brasília estão em estado de extremo risco e são levados, primeiramente, para clínicas veterinárias, e depois são colocados para adoção. “O grupo dedica-se primordialmente aos animais encontrados nas ruas e que necessitam de cuidados para ferimentos, doenças graves ou se encontram em locais de alto risco. Muitas pessoas nos ligam falando que encontraram algum animal bastante debilitado. Quando não podemos ajudar, a gente passa orientações de como proceder. Mas, no geral, eles são encaminhados para as casas dos voluntários mesmo e ficam lá até encontrar um tutor definitivo”, frisa Márcia.

200 animais
A administradora Fernanda Luza, 29 anos, sempre gostou de bichos e estava pensando em comprar um assim que se casou. Certo dia, entrou na internet e descobriu o site da Bsb Animal. Foi quando se deparou com o pequeno Pepê, simpático caõzinho meio vira-lata(1) e meio poodle que não tinha uma das patinhas e havia sido enontrado abandonado debaixo de um caminhão. “Eu achei ele uma graça. Entrei em contato com a Bsb Animal, meu marido concordou em adotar, e ele está conosco há um ano e meio. Mesmo não tendo uma das patinhas, ele é bem espevitado. É mais feliz do que muito cachorro que tem todas as patas”, garante Fernanda. Desde então, ela passou a ser uma das voluntárias da entidade e já adotou um outro cão: o boxer Salomão, encontrado no meio de uma rodovia. “É muito gratificante ajudar esses bichinhos. E a minha casa ainda é um lar temporário, ou seja, lá ficam cães e gatos que ainda estão à procura de adotantes”, revela.

Desde que foi criado, o grupo já promoveu a adoção de 200 animais. No momento, ele está disponibilizando 15 bichos, entre cães e gatos. Não é necessário pagar nenhuma taxa para adotar, mas quem puder, pode arcar com o valor da castração e da primeira vacina. Os interessados em ajudar ou adotar um animal podem entrar em contato pelo telefone: 8437-8201 ou pelo site www.bsbanimal.com.br

1 – Raça desconhecida
A maior parte dos cães e gatos encontrados pela ong BSB Animal nas ruas e até rodovias do Distrito Federal são vira-latas, também conhecidos por animais sem raça definida ou SRD.O termo vira-lata deriva do fato de muitos desses animais, quando abandonados, serem comumente vistos andando pelas ruas revirando latas de à procura de alimento. Geralmente, os cães e gatos vira-latas são mestiços, descendentes de diferentes raças, ou mesmo sem origem definidas em um pedigree.

Com informações de Correio Braziliense

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo