Deflagrado combate à rinha de galo em Maceió

           

As Polícias Civil e Rodoviária Federal desencadearam, na tarde deste sábado, com o apoio do Ibama, uma ação com o intuito de combater a rinha de galo – uma contravenção penal – em Maceió e algumas cidades alagoanas. Vários pontos da capital alagoana já foram identificados, dentre eles o Village Campestre, região da Via Expressa, e o Vergel do Lago, onde as apostas ilícitas ocorriam em uma igreja evangélica. Lá, um médico teria sido detido. As buscas foram em virtude de mandados expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital. Além de Maceió, operação ocorreu paralelamente em Santa Luzia do Norte e em Satuba.

Como consequência, envolvidos já estão detidos na Deplan II e outras pessoas acusadas deste ilícito foram encaminhadas para a Deplan II.

“Denúncias anônimas foram feitas e o nosso pessoal foi infiltrado em meio aos apostadores. Eles serão autuados, mas responderão em liberdade. Os donos, por cada galo, ainda terão de pagar quinhentos reais”, explica o inspetor Ricardo.

Na chácara, onde mora o dono das rinhas, mais galos foram encontrados (Foto: Dulce Melo)
Na chácara, onde mora o dono das rinhas, mais galos foram encontrados (Foto: Dulce Melo)

Ao chegar em um dos pontos da rinha de galo, no Village Campestre, a polícia encontrou 24 animais bastante debilitados em consequência dos ferimentos adquiridos enquanto estavam em combate. O detalhe é que o local dá acesso para a residência de um dos acusados, no momento identificado apenas por Josivaldo. Os policiais desconfiaram do espaço ao lado da rinha e resolveram observar de cima de um muro. Após iluminá-lo com lanternas, foi percebido um enorme cativeiro e galos espalhados em vários lugares da chácara.Presume-se que lá estivessem acomodados mais de cem animais.

O inspetor Marcos José da Silva revelou que o esquema é alto, pois apenas com dois apostadores – pai e filho – foram encontrados R$ 11 mil.

“Isso aqui movimenta muito dinheiro. Nós encontramos um montante, em espécie e em cheques, e está tudo embalado. Não sabemos precisar, agora, o valor recolhido, mas tinha cheque de oitocentos, seiscentos. É questão de cultura. Vocês mesmo viram crianças aqui com os pais, aprendendo a gostar desse tipo de crime”, disse o inspetor, que veio do Pará.

No interior da rinha estavam pelo menos 50 pessoas, entre jovens e idosos. Todas, inclusive as que estavam apenas assistindo, também serão notificadas por meio de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Para transportá-las até a Delegacia de Plantão (Deplan II), no bairro Salvador Lyra, a polícia agilizou um ônibus. Também foi informado que uma rinha foi ‘estourada’ em Satuba.

Fonte: GazetaWeb

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo