Universidade da Califórnia abandona utilização de ratos em experimentos

           

Por Joana Bronze (da Redação)
Com colaboração de Renan Vicente de Andrade

Depois de muitos protestos de defensores dos Direitos Animais, o curso de Neurociências da Universidade da Califórnia (EUA) decidiu eliminar o uso de cobaias durante as aulas. Segundo informações, mais de 200 ratos eram mortos por ano depois de participarem de experiências (seus crânios eram perfurados e seus cérebros eram quimicamente danificados nas salas de aula).

Imagem: Reprodução/PETA
Imagem: Reprodução/PETA

Ativistas da PETA enviaram cartas, emails e realizaram ligações incentivando cessar esses procedimentos terríveis, substituindo-os por alternativas modernas  e educacionalmente mais eficazes.

Depois de avaliar as informações fornecidas e revendo toda a estrutura do curso, a escola anunciou que está abolindo completamente o uso de animais nos experimentos e iniciando o uso dos sofisticados e avançados simuladores.

Arizona

Já na Universidade Estadual do Arizona, a crueldade persiste nas salas de aula. Os experimentos nos cursos de fisiologia e biologia são os mais crueis possíveis.

imagem: reprodução/Peta files
Imagem: reprodução/Peta files

Há algumas ações sendo tomadas, em forma de protesto pacífico, para acabar com essa prática retrógrada e abusiva. Uma delas é o envio de e-mails à vice-presidente executiva da universidade, Dr. Elizabeth D. Capaldi, em que as pessoas educadamente pedem o fim dos experimentos.

* Com informações do PETA

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo