Mais macacos morrem em centros de pesquisas

           

Por Joana Bronze (da Redação)

Em março, foi divulgada pelo PETA a primeira investigação ao Centro Nacional de Pesquisas em Primatas de Oregon (ONPRC). A investigação surgiu em resposta a uma queixa, expondo alguns absurdos, como um macaco que havia sido operado por engano e uma macaca grávida gravemente doente, ambos sem auxílio veterinário, entre outros.

Imagem: Reprodução/Peta Files
Imagem: Reprodução/Peta Files

Apenas sete meses depois, a ONPRC está no foco novamente. De acordo com um processo movido pela InVivo Therapeutics, uma das empresas que contratou a ONPRC, foram encontrados atos de tortura nos experimentos com macacos, tão gravemente feridos e negligenciados, que quatro deles, cujas medulas espinhais tinham sido cortadas cirurgicamente, tiveram de ser sacrificados.

Na ação, a InVivo alega que, no início do período de investigação, mais de um terço dos macacos sofreram ferimentos ou doenças (como problemas de bexiga e complicações no pós-“operatório”). A InVivo também alega que pelo menos um macaco havia desenvolvido uma infecção debilitante, como resultado de contato com bactérias.

A publicidade em torno do caso dá mais atenção para este absurdo, bem como a inadequação da lei federal que deveria proteger os animais em laboratórios, o que não ocorre na prática.

Esta é só mais uma das cruéis, redundantes e arcaicas maneiras de realização com experimentos em animais. Eles demonstram claramente o sofrimento animal envolvido e por que estes experimentos devem ser abolidos.

* Com informações de PETA

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo