Santuário em Sorocaba (SP) vai receber mais três leões de circo

           

A Prefeitura de Xinguara, no sul do Pará, confiscou no dia 15 de abril de 2009 passado quatro leões em péssimo estado de saúde, que desfilavam pela cidade para promover a chegada do Circo Miami àquela localidade. Um parecer dos médicos veterinários, Rafael Nery da Silva e Marcelo Milanezi Alves, relata que os leões estavam em gaiolas ínfimas de 12,5 metros quadrados e 9 metros quadrados, dois em cada uma.

Os leões têm feridas e traumatismo múltiplos nos corpos. Vivem praticamente nesses cubículos enferrujados “onde se alimentam, dormem e são transportados, sem terem um espaço maior para que possam se locomover”. Além desta situação dramática, os animais não têm documentação de origem. O dono do Circo alegou que tinha perdido quando uma barca afundou com seus pertences.

O IBAMA do Pará – ante o laudo técnico da Prefeitura – ratificou o confisco dos animais, que ficaram sob sua guarda. Duas semanas atrás o Projeto GAP recebeu o pedido do IBAMA de Brasília para tentar dar acolhida a estes animais. Uma leoa já tinha morrido, de nome Nathacha, que era a mais velha do grupo.

O Santuário de Sorocaba não tinha no momento recinto específico para leões, porém poderia improvisar um recinto, que estava em construção para chimpanzés, até construir um recinto apropriado no setor de felinos. O Santuário já possui 3 leões, 2 tigres e 2 ursos, além dos quase 50 chimpanzés.

O problema é o transporte até Sorocaba, já que dificilmente os leões resistirão a uma viagem rodoviária. No momento o IBAMA está tentando conseguir o transporte aéreo. Porém, já levou os 3 leões para o norte do Estado e os separou em jaulas individuais e os medicou, a fim de evitar que as feridas que tinham terminassem tragicamente. Atualmente se encontram na cidade de Parauapebas, sob controle do IBAMA local.

A qualquer momento, nos próximos dias, o transporte dos leões terminará trazendo-os para Sorocaba, onde poderão ter uma vida digna e decente, que o circo nunca deu a eles.

Sabrina, Muphasa e Simba estão prestes a realizar sua última aventura: atravessar o Brasil de norte a sul, para se livrar do castigo que significa estar nas mãos de pessoas que nunca souberam respeitar a magnificência desta espécie, que outros humanos qualificaram certamente como o Rei da Selva. Lá, em um túmulo sem nome e ignorado, a última vítima dos circos – NATHACHA – não poderá acompanha-los nesta jornada, mas o seu espírito os ajudará a suportar este último esforço na luta pela sobrevivência.

Fonte: GAP

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo