Vereador aciona prefeitura para retirar cães de casa em Jundiaí (SP)

           

O vereador Leandro Palmarini (PV) pediu à prefeitura solução para o caso de oito cachorros que estão em estado de abandono em uma casa na rua dos Bandeirantes, região central. O parlamentar distribuiu ofícios na própria prefeitura, na Vigilância Sanitária e na Seção de Controle de Zoonoses.

Após receber uma intimação da polícia, os donos do imóvel, Marcelo e Valéria Morra, contrataram o desempregado Edemílson Batista, 39, para cuidar dos animais. Mas, ele disse nunca ter recebido pagamento e ontem avisou que não irá mais realizar o trabalho.

O fato aumentou a preocupação e a reclamação dos vizinhos e o vereador chegou a pensar em tirar os animais do local, mas não tinha para onde levá-los no início da noite de ontem, quando foi até a casa.

Os vizinhos, que cotizam R$ 500 mensais para alimentar os animais, estão revoltados com a situação que já dura seis meses,  desde a primeira denúncia.

Sem paciência

“Já veio polícia, vereador, e após seis meses nenhuma providência foi tomada.” Apesar de estar acompanhando o caso há meses, o vereador não soube dizer aos vizinhos se existe uma possível pendência entre os proprietários e a prefeitura.

Leandro disse que até o momento o proprietário, por meio do desempregado que cuidava dos animais, podia alegar  que fazia algo. “Mas hoje com o comunicado de que ele (o desempregado contratado para cuidar dos animais) não mais viria aqui e pelo fato de não conseguir mais entrar em contato com os donos do imóvel abandonado, entrei com os ofícios”.   

Fonte: Agência Bom Dia

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo