Vegetarianismo: uma opção ética e saudável

           

Por Manuela Casali Cordeiro

Há algum tempo, o vegetarianismo vem ganhando destaque e cada vez mais adeptos. Algumas pessoas alegam optar por dietas vegetarianas por não aceitarem o massacre animal, outras aderem ao vegetarianismo como uma forma de melhorar sua alimentação e, consequentemente, a saúde.

Muitos vegetarianos não acreditam que o homem seja superior aos animais no que diz respeito ao direito à vida. Para eles, não justifica tirar a vida de um ser animado para alimentar uma pessoa, principalmente quando a vida desta não depende do animal. Prendem-se, também, à forma como os animais são tratados antes e durante o abate.

Em outros casos, por aconselhamento médico ou iniciativa própria, muitas pessoas são motivadas pela saúde para seguirem um regime vegetariano. A dieta é equilibrada e, em geral, melhora os níveis de colesterol, reduz o risco de doenças cardiovasculares e também evita alguns tipos de câncer. Levam em conta a qualidade dos produtos provenientes de animais que chegam ao mercado. Muitos deles, criados especificamente para o consumo humano, são alimentados com uma grande quantidade de hormônios de crescimento e antibióticos para resistirem às doenças, comprometendo a qualidade da carne. A poluição dos rios também deixa insegurança no consumo de peixe. O último ponto são as recorrentes crises na indústria de alimentos, devido aos males que afetam os animais, como a febre aftosa, gripe aviária, entre outros.

É claro que também há a preocupação quanto aos vegetais, devido à utilização de agrotóxicos que prejudicam a saúde, tanto quanto os hormônios aplicados na carne. Por esse motivo, é fundamental a higiene antes do preparo dos alimentos, ou então, optar por vegetais orgânicos.

Existem diversos tipos de vegetarianos. O mais comum é o ovolactovegetariano, que retira da dieta qualquer tipo de carne animal, mas mantém ovos e laticínios. O lactovegetariano retira a carne e os ovos, mas continua com o leite e derivados, enquanto o ovovegetariano faz o contrário: tira os laticínios e a carne, mas mantém os ovos na dieta.

Os vegans ou veganos abdicam de todos os alimentos de origem animal, incluindo ovos, laticínios, gelatina, mel e coalho. Estes, além da dieta, evitam o uso de produtos derivados de animais, como couro, roupas de lã, peles, entre outros. Existem vegetarianos ainda mais radicais, como os crudívoros, que adotam uma dieta vegan, mas apenas com alimentos crus ou desidratados em temperaturas não muito altas. Ainda existem os frutarianos, que não ingerem nenhum tipo de carne e nada proveniente da matança das plantas; pode-se comer maçã, por exemplo, mas não palmito. Essa dieta é extremamente restritiva e pode ser pobre em nutrientes.

Muitos famosos aderiram ao vegetarianismo, entre os quais estão personalidades da música, do cinema, da televisão e da moda. Entre os internacionais, podemos citar a atriz Drew Barrymore, o também ator Brad Pitt, o músico Paul McCartney, ex-Beatle, e sua filha, a estilista Stella McCartney. No Brasil temos a cantora Rita Lee, o jornalista Cid Moreira e André Matos, ex-vocalista do Angra. O fato é que o vegetarianismo vem ganhando cada vez mais adeptos, seja entre celebridades ou pessoas comuns.

A dieta vegetariana bem planejada, com o auxílio de um médico ou nutricionista, é viável em qualquer fase da vida, pois não há nenhum componente presente na carne que não seja encontrado nos alimentos utilizados pelos vegetarianos. Portanto, ela pode ser adotada inclusive por crianças e gestantes, se for equilibrada e adequada. A dieta vegana exige um pouco mais de cuidados em relação ao cálcio e à vitamina B12; a partir do terceiro ano em um regime vegan é necessário fazer uma suplementação dessa vitamina.

Existem muitos mitos e preconceitos que rondam a dieta vegetariana. É interessante esclarecer que, apesar de limitar a ingestão de alguns alimentos e parecer bastante restritiva, ela permite que as pessoas consumam uma maior variedade de alimentos. Em uma dieta onívora, o prato principal é sempre um tipo de carne. Quando uma pessoa opta pelo vegetarianismo, os acompanhamentos se tornam o prato principal, como alimentos preparados com carne de soja ou um prato de grão-de-bico. A partir do contato com cozinhas que não utilizam a carne, como a indiana e a mediterrânea, é possível verificar que a dieta vegetariana pode ser bastante saborosa, variada e, principalmente, mais saudável e ética.

Conheça melhor o vegetarianismo:

http://vista-se.com.br

http://www.sejavegetariano.com.br

Fonte: Portais da Moda

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo