Animais são vítimas de exploração no circo Bremer, em Criciúma (SC)

           

(da Redação)

O circo Bremer, que está atualmente em Criciúma (SC), explora em suas apresentações cerca de 30 animais: uma macaca, pôneis, camelos, cavalos, avestruz, entre outros. E se orgulha disso, como pode ser conferido em matéria publicada no jornal A Tribuna.

Com alarde e muita satisfação, a proprietária Rosa Bremer divulgou ontem (15) que “após 11 meses de gestação, veio ao mundo um adorável filhote de lhama, com aproximadamente oito quilos; ele tem os pelos pretos e apenas uma manchinha branca no pescoço”.

Segundo ela comentou, o animal ainda não foi batizado, mas será feito um concurso para escolher o nome do bebê lhama. “Aqui todos têm nomes de artistas. Vamos ver que nome vão sugerir”, destacou. E afirmou que ele também vai ser “artista”.  Os espetáculos acontecem de terça à sexta-feira.

Lhama

imagem de lhamasA lhama (Lama glama) é um mamífero ruminante, da Ordem Artiodactyla, e da família Camelidae. É parente próximo da alpaca (Lama pacos), do guanaco (Lama guanicoe) e da vicunha (Lama vicugna). Sua aparência é curiosa. Seu pescoço é alongado e seu pelo, fino e longo, tem cores em tonalidades diferentes.

Sua cabeça é oval, diferente da cabeça redonda das alpacas. Pode atingir 1,7 metro de altura; seu comprimento varia entre 1,4 e 2,4 metros (contando com a cauda de aproximadamente 25 centímetros) e chega a pesar 150 quilos. Existem duas variedades de lhama: a Chaku, que apresenta mais pelo, e a Qara, que tem pouco pelo. As lhamas habitam os arredores da Cordilheira dos Andes, em países como Bolívia, Chile, Peru, Argentina e Equador. São animais que foram domesticados há aproximadamente 4 mil anos. Hoje não são mais encontradas lhamas selvagens. Foram muito importantes para os povos incas, e, na época, eram os únicos animais domesticados. Essa espécie faz parte da mitologia andina.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo