Cães são abandonados em associação protetora de São Leopoldo (RS)

           

Abandonados na Associação Leopoldinense de Proteção aos Animais (Alpa), centenas de cães estão sem água e sem comida, vivendo em meio às fezes onde deveriam estar sendo bem tratados. Famintos, muitos tentam encontrar sobras de comidas. Outros não tem mais nem força para levantar. Estão doentes, alguns já sem pelos tomados por sarna e pulgas. E aos poucos, entre uma casa e outra, nos deparamos com bichos mortos.

Os problemas teriam começado quando a nova presidente da Alpa, Ana Maria Gomes, assumiu a ONG, em setembro do ano passado, e a direção se dividiu, pois os funcionários deixaram de trabalhar por falta de pagamento. Segundo os voluntários, em outubro do ano passado a Alpa acolhia cerca de 700 animais. Hoje não passam de 300.

A secretária financeira, Jussara Dias, diz que a Alpa deixou de receber a verba mensal de R$ 6 mil repassada pela prefeitura:

– Desde dezembro ela não presta contas, por isso que a prefeitura não dá o dinheiro e nos informou que não vai depositar enquanto ela não prestar contas. E ela não tem como prestar contas porque ela compra ração sem notas.

Ana Maria Gomes, no entanto, garante ter prestado contas e que os animais não passaram fome:

– Os animais em nenhum momento passaram fome. Pelo contrário, eles até estão comendo bem mais do que antes porque são muitas doações

Segundo a reportagem do Jornal do Almoço, que chegou por volta das 10h30min, deixou o local já à tarde, os bichos, só comeram e beberam porque os voluntários trouxeram ração e colocaram água.

Fonte: Zero Hora/RBS TV

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo